Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DIVIDENDOS

Governo reforça caixa com R$ 2 bi do BNDES

Governo reforça caixa com R$ 2 bi do BNDES
07/03/2014 00:00 - folhapress


Depois da frustração com o resultado das contas públicas em janeiro, o governo federal decidiu reforçar seu caixa com dividendos do BNDES, o banco estatal de desenvolvimento.

O Tesouro Nacional autorizou ontem o resgate de R$ 2 bilhões em títulos públicos que estavam com a instituição financeira.

A medida é retroativa a fevereiro. Por isso, o dinheiro vai aparecer como receita e engordar o superavit primário do segundo mês do ano, cujo resultado será divulgado no fim de março.

O BNDES foi a instituição que mais pagou dividendos ao Tesouro no ano passado, com o repasse de quase R$ 7 bilhões, mais de 40% do total recebido das estatais.

A previsão do governo federal é de uma receita de R$ 24 bilhões em dividendos em 2014, aumento de 40% em relação a 2013, considerando todas as empresas federais.

Essa fonte de recursos garante, sozinha, cerca de um quarto da meta de superávit do setor público do ano.

Os R$ 2 bilhões se referem ao repasse de parte do lucro do BNDES no ano passado. Na primeira versão da portaria que autorizou a operação, publicada ontem, foi informado que se tratava de uma antecipação de dividendos.

O Tesouro, no entanto, retificou a informação e disse que se trata de um pagamento normal de dividendo, referente a um lucro já divulgado, e não da distribuição de dinheiro de lucros futuros.

A antecipação de dividendos foi um artifício contábil utilizado pelo governo em 2012 para engordar o superávit primário daquele ano.

Repercussão Negativa
A piora nas contas públicas no governo Dilma Rousseff tem sido apontada pelo mercado como uma das principais fragilidades da economia brasileira. Um superávit maior ajuda a reduzir a dívida pública e contribui para o controle da inflação.

Por isso, entregar um superávit primário de R$ 99 bilhões em 2014 é uma das principais metas do governo federal para este ano, conforme anunciou o Ministério da Fazenda há duas semanas.

Em janeiro, no entanto, o resultado ficou abaixo das previsões, com uma queda de 34% em relação ao mesmo mês de 2013, o que levou o governo a agir para melhorar o resultado do mês seguinte.

A questão fiscal também é um fator importante para a avaliação da nota de crédito do Brasil dada pelas agências de classificação de risco, e a melhora nas contas públicas pode evitar um rebaixamento dessa nota. 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!