Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SUPERESTIMADO

Hyundai e Kia pagarão quase <BR>R$ 1 bi por divulgar consumo

Hyundai e Kia pagarão quase <BR>R$ 1 bi por divulgar consumo
29/12/2013 11:30 - R7


Hyundai e Kia Motors anunciaram que vão pagar US$ 395 milhões (R$ 929 milhões) de indenização por terem divulgado números de consumo superestimados em informes publicitários de vários modelos nos Estados Unidos. As fabricantes concordaram em ressarcir os proprietários de cerca de 900 mil veículos no País e encerrar o processo aberto no Tribunal de Justiça de Los Angeles — que recentemente completou um ano.

Em novembro de 2012, donos de vários modelos das marcas sul-coreanas formalizaram queixas por não conseguirem obter em seus veículos o consumo informado pelas fábricas. As reclamações cresceram e culminaram no processo aberto na justiça de Los Angeles, onde Hyundai e Kia foram condenadas. O julgamento considerou as medições realizadas pela Agência de Proteção Ambiental (EPA), que apontaram diferenças no consumo médio divulgado de vários automóveis.

Nas medições realizadas pela EPA, as diferenças no consumo divulgado em propagandas chegaram a 1,5 km/l. Nos modelos Accent, Elantra e Veloster — estes dois últimos vendidos no Brasil — a Hyundai informava consumo de 17 km/l e a agência norte-americana obteve médias mais modestas, entre 15,7 km/l e 16,1 km/l.

Para encerrar a questão, ficou decidido que a Hyundai ressarcirá aproximadamente 600 mil clientes com US$ 353 (R$ 830), enquanto a Kia Motors pagará US$ 667 (R$ 1.570) a 300 mil consumidores. No total, a primeira pagará US$ 210 milhões e a segunda, US$ 185 milhões, totalizando os US$ 395 milhões — ou quase R$ 1 bilhão.

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.