Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

Inadimplência recua 1,3% em Campo Grande

Inadimplência recua 1,3% em Campo Grande
02/09/2010 20:51 -


VERA HALFEN

A inadimplência de pessoas físicas, em Campo Grande, vem apresentando uma tendência de queda em 2010, de acordo com registro no  SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Em agosto, o índice de queda de 1,3% representa cerca de 106 mil pessoas, com dívidas que somam R$ 56,79 milhões, contra o registrado em outubro, que chegou a mais de 123 mil contas em atraso. Em agosto, esse índice  apresentou variação negativa de 1,3%, ante a variação positiva de 1,8% em julho deste ano.
“Os ventos favoráveis da economia brasileira continuam soprando. O fato mais auspicioso é que continuamos com uma queda na inadimplência”, disse Luiz Fernando Buainain, presidente da ACICG – Associação Comercial e Industrial de Campo Grande. Na mesma linha, o gerente do SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), Valdineir Ciro de Souza, confirma a queda – que teve início em outubro. “A partir de agora, a tendência é de estabilização, porque o volume de inclusões não cresceu”, diz.
O movimento no SCPC – que mede as vendas a prazo – no mês passado foi 0,11% superior em relação a igual período de 2009. As consultas ao SCPC Cheque tiveram queda de 41,90% em comparação com agosto de 2009.
O número de consultas realizadas em agosto ao Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), ficou praticamente igual ao de agosto de 2009, conforme pesquisa divulgada ontem pelo órgão.

Felpuda


Os bastidores fervem com a ciumeira que vem acontecendo em alguns municípios, onde determinados candidatos estariam sendo mais prestigiados que outros depois das alianças que foram formalizadas nas convenções. As queixas só aumentam, e as lideranças partidárias já não sabem o que fazer, temendo a possibilidade de que a vitória vá para o ralo. A bronca maior está entre integrantes das chapas puras de vereadores que se coligaram na majoritária. E salve-se quem puder!