Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

JULGAMENTO

Insatisfeito, PT ficará com o prefeito

Insatisfeito, PT ficará com o prefeito
12/03/2014 00:00 - TAVANE FERRARESI


A insatisfação com a administração do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), é quase generalizada dentro do PT. Apesar disso, os vereadores da sigla deverão votar hoje, contra o pedido de cassação do mandato do gestor municipal. Os petistas entendem que a retirada do apoio ao progressista nesse momento de fragilidade pode ser mau visto pela população. Por isso, eles decidiram se posicionar a favor de Bernal na sessão de julgamento e analisar depois se é viável continuar participando da eventual continuidade dessa gestão.

Desde a semana passada, líderes do PT não têm mais escondido a vontade de pular fora da atual gestão. Para eles, ficar com Bernal pode causar desgaste profundo no partido e até na imagem do senador Delcídio do Amaral que é pré-candidato à sucessão estadual.

Além disso, há aqueles que entendem ser inexistente a representatividade da legenda no governo progressista. Isto porque as indicações de Semy Ferraz para chefiar a Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação (Seinthra) e de Thais Helena como secretária municipal de Assistência Social foram indicações pessoais do prefeito e não do PT.

Portanto, assim como Delcídio, o deputado estadual, Pedro Kemp disse ser necessário que a sigla se afaste de Bernal. “Meu posicionamento pessoal é que o PT deveria se afastar dessa administração”, comentou. “O prefeito nunca discutiu essas indicações, portanto eles estão lá representando ele e não o partido”, completou.

Felpuda


Devidamente identificadas as figurinhas que agiram “na sombra” em clara tentativa de prejudicar cabeça coroada. Neste segundo semestre, os primeiros sinais começarão a ser notados como reação e “troco” de quem foi atingido. Nos bastidores, o que se ouve é que haverá choro e ranger de dentes e que quem pretendia avançar encontrará tantos, mas tantos empecilhos, que recuar será sua única opção na jornada política. Como diz o dito popular: “Quem muito quer...”.