Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIDADES

Mais presos por roubo a caixas eletrônicos

Mais presos por roubo a caixas eletrônicos
07/08/2010 08:05 -


Vânya Santos

Equipe da Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras) prendeu ontem, outras três pessoas acusadas de furtar caixas eletrônicos em Campo Grande. Leandro de Souza, 20 anos, Jacques do Nascimento, 32, e Fernando Mailson Lemes Maciel, 21, são acusados de furtar uma agência do Banco do Brasil, na Avenida Ricardo Brandão, Chácara Cachoeira. O crime ocorreu no dia 10 de fevereiro deste ano.
De acordo com o Garras, após o furto, a quadrilha gastou cerca de R$ 5 mil em notas de R$ 20 em compras nas lojas do Shopping Campo Grande. Um quarto integrante do grupo já foi identificado, mas está foragido.
O suspeito Leandro foi preso em Salvador (BA) pela Polícia Federal durante Operação Corujão, enquanto Jacques foi preso em Vitória (ES), quando estava no aeroporto para retirar uma furadeira elétrica enviada por um comparsa de Campo Grande. Conforme a polícia, a ferramenta seria utilizada por outros criminosos para furtar agências daquela cidade.
Já Fernando foi preso em Campo Grande. A polícia apurou que sua função era dar suporte ao grupo que praticava furtos em caixas eletrônicos da Capital.
Parte desta quadrilha havia sido presa pelo Garras na segunda-feira, na residência de Cleilson Zangirolami, 32 anos, no Bairro Pacaembu, em Campo Grande. Ele é suspeito de envolvimento no furto de caixa eletrônico do Banco do Brasil, em Jaraguari, há cerca de um mês.
Também foram presos Elias Alves dos Santos, 43, de São José dos Pinhais (PR); Anderson de Freitas, 25, e Dorvalino Simão da Silva, 31, ambos de Joinville (SC). Este grupo havia tentado furtar uma agência do Banco Sicredi, em Nova Alvorada do Sul, no dia 31 de julho.

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...