Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIDADES

Marginais capotam veículo em perseguição durante a madrugada

Marginais capotam veículo em perseguição durante a madrugada
26/02/2010 06:40 -


Natan Rafael Vilhalva da Costa, 19 anos, e os adolescentes J.R.Q. e H.A.S.S., de 16 anos, ficaram feridos em acidente ocorrido na madrugada de ontem, na Rua Manoel Rosa, na Vila Carvalho. O motorista capotou o Fiat Uno, placas HRA-1906, durante perseguição da Polícia Militar. O veículo, de acordo com o boletim de ocorrência, havia sido furtado horas antes no Bairro Aero Rancho, localizado próximo à saída para Sidrolândia. Segundo a PM, a perseguição teve início na Vila Nhá-Nhá. Policiais estavam em ronda pelo bairro e, desconfiados da atitude dos ocupantes do Uno, acionaram a sirene para que o condutor encostasse o carro. Ao invés de atender à ordem de parada, o motorista partiu em alta velocidade em direção à Avenida Salgado Filho. No cruzamento da via com a Rua Manoel Rosa, o condutor perdeu o controle do veículo, bateu em uma árvore e capotou. O jovem e os adolescentes foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros e encaminhados para a Santa Casa de Campo Grande. De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, J.R.Q. teve a orelha direita amputada por conta do acidente e continua internado. O outro adolescente teve de passar por cirurgia e amputar um dos dedos. Já Costa foi atendido pela equipe do Pronto-Socorro (PS), teve alta ontem pela manhã e foi levado para o Centro Integrado de Polícia Especializada (Cepol). A polícia desconfia que os três são autores de outros furtos de veículos na Capital, já que a PM encontrou o documento de outro carro no porta-luvas do Uno. As investigações ficarão a cargo da Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos (Defurv).

Felpuda


Nos bastidores, há quem garanta que a única salvação, de quem está com a corda no pescoço, é ele aceitar ser candidato a vice-prefeito em chapa de novato no partido. Vale dizer que isso nunca teria passado por sua cabeça, uma vez que foi eleito com, digamos, “caminhão de votos”. Se aceitar a imposição, pisaria na tábua de salvação; se recusar, poderá perder o mandato. Ah, o poder!