Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Menino atropelado por carreta em Corumbá

Menino atropelado por carreta em Corumbá
09/02/2010 08:26 -


O atropelamento do menino Pedro Vitor Maciel Barbosa, de 3 anos, que morreu atingido por uma carreta, de placas HQJ 1284, ontem de manhã, reacendeu um velho problema de trânsito em Corumbá: o tráfego pesado na área central da cidade. Apesar da sinalização vertical visível, os caminhoneiros que transportam cargas para a Bolívia circulam livremente no perímetro proibido. Pedro foi esmagado pela carreta quando passava com a mãe, Marcilene Garcia Barbosa, 22, e um irmã de dois anos, pela rua Gonçalves Dias. Na esquina com a Edu Rocha, o veículo fez uma conversão e o motorista, Josué Ferrari, 50, alegou que não percebeu a presença do menino, que teria se soltado da mão da mãe. O motorista disse que parou a carreta quando ouviu os gritos de Marcilene. O acidente revoltou os moradores da região, situada entre os bairros Aeroporto e Nossa Senhora de Fátima. O tio de Pedro, Geovane, 20, disse, chorando, que os caminhoneiros não respeitam a sinalização e reclamou da falta de fiscalização por parte da Agetrat (Agência Municipal de Trânsito e Transporte). Os moradores alertaram que o risco de acidente na Gonçalves Dias aumentou com o reinício das aulas. “Acabei de brincar com meu sobrinho e agora ele morre desse jeito”, lamentou o tio. A versão do motorista foi desmentida pela mãe e por testemunhas. Em estado de choque, Marcilene relatou, depois de atendida pelos bombeiros, que segurava a mão de Pedro, enquanto o outro filho carregava no colo. Josué Ferrari foi indiciado no 1º Distrito Policial por homicídio culposo (sem intenção de matar).

Felpuda


Mesmo sem ter, até onde se sabe, combinado com o eleitor, candidato a prefeito começou a apresentar nomes do seu ainda hipotético secretariado, pois parece estar convicto de que conseguirá vencer a disputa.

Os adversários dizem por aí que ele está muito distante de “ser um Jair Bolsonaro”, que, ainda na campanha eleitoral para presidente da República, já falava em Paulo Guedes para ser seu ministro de Economia. Como sonhar é permitido