Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MS tem saldo positivo de 21,9 mil empregos

MS tem saldo positivo de 21,9 mil empregos
21/08/2010 00:05 -


     

Nos sete primeiros meses de 2010, Mato Grosso do Sul gerou 21.908 empregos e pela primeira vez desde 2007 o mês de julho registrou saldo positivo na retenção de postos de trabalho, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho (MTE).

O levantamento aponta que o Estado gerou e reteve 1.324 vagas de emprego formal no mês de julho, um crescimento de 0,32% em relação ao mês anterior. A série histórica do Caged mostra que pela primeira vez em três anos Mato Grosso do Sul registrou um mês de julho com saldo positivo na geração de empregos.

Destaque no mês de julho, a indústria da transformação foi a responsável pela criação de 834 vagas formais no mercado de trabalho. A construção civil vem logo em seguida na lista com 413 de saldo positivo na geração e retenção de empregos, depois aparecem os setores do comércio (330) e o setor de serviços (292). De acordo com o Ministério do Trabalho, os índices positivos destes setores superam o saldo negativo registrado no setor na agropecuária, que demitiu mais do que contratou, ficando com -532 de saldo.

Entre os municípios sul-mato-grossenses com mais de 30 mil habitantes Campo Grande se manteve na frente no ranking das cidades que mais contrataram em julho, com um saldo de 762 trabalhadores. Paranaíba aparece em segundo na lista com 106 contratados, seguido de Três Lagoas (74); Coxim (53); Aquidauana (47) e Ponta Porã (19). Dourados, Corumbá, Nova Andradina e Naviraí registraram saldo negativo.

Nos últimos 12 meses o Estado reteve 22.049 postos de trabalho formal, um crescimento de 5,69% no nível de emprego. Ainda de acordo com o MTE, o resultado é o melhor de toda a série histórica do Caged para o período.

Felpuda


A parceria que até então era cantada em prosa e verso, com direito à divulgação de fotos em momentos de muita alegria, dá sinais de que realmente está se esgotando. O tal parceiro quase não mais aparece nos meios de divulgação, e até criticas, digamos, “meio de leve” vêm sendo feitas. Dizem que está o “maior climão”.Mas pelo sim, pelo não, resta esperar para ver onde é que essa parceria chegará. Sei não...