Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIDADES

Mulher detida em ônibus com droga

Mulher detida em ônibus com droga
20/03/2010 03:27 -


Denúncia anônima levou a Polícia Militar a prender Elizandra Carmen de Oliveira, de 32 anos, que tentava sair de Campo Grande levando um quilo de pasta-base de cocaína. Ela foi detida por volta das 22 h de quintafeira, dentro de um ônibus interestadual, no novo terminal rodoviário da Capital, na região da saída para São Paulo. Com a prisão, a PM também chegou ao casal Cícera Maria de Lima, 25 anos, e Otávio da Silva Souza, 25 anos, apontados como donos da droga. Eles foram presos na residência. De acordo com as informações divulgadas ontem pela assessoria de comunicação da PM, após o recebimento da denúncia, segundo a qual uma mulher estava pronta para viajar com uma carga de entorpecente, viatura do Tático do 10º Batalhão de Polícia Militar deslocou-se para a rodoviária, na Vila Albuquerque, para diligências. Os policiais revistaram vários ônibus e encontraram Elizandra Carmen de Oliveira num veículo da Viação Motta, tendo como destino São Paulo. Ela pretendia sair do Estado com mais de um quilo de pasta-base de cocaína. A droga estava presa no corpo da mulher, na região dos seios e da barriga. Ao ser pega, ela denunciou os donos do entorpecente, que também foram presos pela PM. Ainda conforme a polícia, a mulher revelou os nomes dos proprietários e levou a PM à residência de Cícera Maria de Lima e Otávio da Silva Souza, no Nova Lima, saída para Cuiabá. Cícera teria prendido o entorpecente em Elizandra com fita crepe. Em busca na casa dos novos acusados os militares a i nda encontraram ma is sete papelotes de cocaína. Os presos foram encaminhados, junto com a droga, para Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico. (TG)

Felpuda


Comentários maldosos nos meios políticos dão conta que duas figurinhas que se rebelaram contra os próprios colegas poderão ficar no sereno político e, de forma indireta, serem personagens das próprias manifestações.

Um deles defendeu a redução do número de vereadores, e o outro disse ter vergonha de exercer o cargo. Agora enfrentam altos e baixos na campanha eleitoral.