Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Música intrumental perde nome de destaque

Música intrumental perde nome de destaque
05/06/2008 09:42 -


     

 

 

Morreu ontem, no Rio de Janeiro, aos 67 anos, o saxofonista, flautista, arranjador e compositor João Thedoro Meirelles. Nome de destaque no circuito jazzístico e da MPB instrumental, gravou álbuns importantes na década de 60 à frente do grupo Copa5. Há alguns anos, o selo Dubas relançou dois discos importants dessa fase: "O som" (1964) e "O novo som" (1965).

Adepto da mistura da bossa nova com elementos do jazz americano dos anos 50 e 60, Meirelles, em 1963, foi o arranjador de Jorge Ben. Nos anos 1980 e boa parte dos 90, ficou fora de cena, retomando a carreira a partir da gravação de Ed Motta para "Bananeira", no songbook de João Donato. Em seguida, também na Dubas, fez os discos "Samba jazz" (2002) e "Esquema novo" (2005).

 

 

Felpuda


Partido político está vivendo processo de autofagia cá por essas bandas. Nada de ideologia ou defesa dos interesses dos filiados. O problema, segundo os mais observadores, é que lideranças não se contentaram em ter cada uma o seu pedaço e decidiram tomar conta com exclusividade do espólio, que, aliás, é regado com cifras milionárias. A legenda deverá se transformarem uma máquina de lavar, no caso, cheia de roupas sujas. E dê-lhe!