Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Na véspera da eleição, Viana e Sarney falam em vitória no Senado

Na véspera da eleição, Viana e Sarney falam em vitória no Senado
01/02/2009 17:42 -


     

        Da redação

        O candidato do PT à presidência do Senado, Tião Viana (AC), afirmou hoje,  após reunião com senadores que apoiam sua candidatura já ter votos suficientes para vencer a eleição marcada para segunda-feira (2). ?Contabilizamos 43 votos para a minha candidatura contra 38 votos para o senador José Sarney [PMDB-AP]?, disse.

         

        Sarney não deu declarações neste domingo, mas nos sábado elçe disse que estav aconfiante na vitória.  ?Não estou, de maneira alguma, preocupado. Tenho certeza que a convocação que me foi feita pelos colegas do Senado, pelos partidos, certamente assegura uma grande e folgada vitória?, disse, sem antecipar quantos votos calcula ter, mas colegas de partido falavam em 45.

        Para um candidato vencer a eleição do Senado é preciso pelo menos 41 votos, uma vez que a Casa é composta por 81 parlamentares. Tião afirmou que chegou ao número de 43 votos após inúmeras conversas com colegas senadores.

        O petista já conta com o apoio de sete partidos ?PT, PSDB, PSB, PR, PSOL, PRB e PDT? e também de parlamentares de legendas que declararam apoio a Sarney, como é o caso do senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), que afirmou que vai contrariar a posição peemedebista para votar em Tião Viana.

        Tião Viana não poupou críticas ao grupo que apoia Sarney. ?Os erros de lá foram muitos. Começaram com arrogância, com menosprezo a minha candidatura desde o início?, disse, ressaltando a importância do apoio dos tucanos à sua campanha. ?Foi fundamental a decisão [de apoio] do PSDB para alavancar força?, afirmou. (informações do Estadão)

         

Felpuda


Lideranças de alguns partidos estão fazendo esforço da-que-les para fechar chapa com o número exigido por lei de 30% do total de vagas para as mulheres. Uma dessas legendas, por exemplo, tenta mostrar a “felicidade” das suas pré-candidatas, mas teme o fracasso, tendo em vista que o “chefe maior” é aquele que já mandou mulheres calarem a boca e disse também que a importância da sua então esposa na campanha eleitoral era porque apenas “dormia com ele”. Ô louco!