Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Nova versão de programa habitacional será enviado ao Congresso em agosto

Nova versão de programa habitacional será enviado ao Congresso em agosto
14/07/2010 17:30 -


     

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, revelou que o governo federal poderá enviar ao Congresso, até o final de agosto, o projeto de lei que trate sobre a segunda versão do Programa Minha Casa, Minha Vida.

De acordo com informações da Agência Brasil, a pretensão do governo é construir 2 milhões de casas nos próximos quatro anos.

"[Vamos enviar para o Congresso] no começo de agosto, quando voltar do recesso. A nossa estimativa é de que está bem encaminhado e que é possível fechar em mais uma reunião até o fim do mês", afirmou Bernardo.

Elevação

Contudo, o ministro ainda ratificou a ideia do governo em aumentar o teto dos imóveis a serem financiados e também de aumentar o valor do subsídio para a compra da casa própria pela população .

"Estamos discutindo desde o subsídio até o valor que vai ser será financiado. Não quero adiantar até que todas as medidas estejam tomadas. Mas vai ter aumento de teto. Há consenso de que é preciso aumentar um pouco", disse o ministro.

Conforme afirmações de Bernardo, o governo pretende ainda tomar providências para expandir a construção de moradias nas grandes cidades, locais onde os valores dos terrenos são altos, situação que dificulta o ato da obtenção de terras.

"Pode ser uma possibilidade fazer prédios com oito andares [antes o limite era de quatro]. Temos que tomar cuidado para não encarecer o valor do condomínio para as famílias", projetou.

Felpuda


Sem conseguir controlar a verborragia, figurinha estreante no mundo político-partidário, e que se acha “o último biscoito do pacote”, acabou batendo de frente com titãs da política. Primeiro perdeu os anéis e, agora, os dedos correm sérios riscos. Anda “ameaçando” deixar o lugar onde se encontra, só que por lá vem ouvindo frases como “se é por falta de adeus...”, “os incomodados que se mudem” e “não fará nenhuma falta”.

Como se vê...