Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Novo vírus de gripe mata focas bebês e pode ameaçar humanos

Novo vírus de gripe mata focas bebês e pode ameaçar humanos
01/08/2012 04:00 - terra


Um novo tipo de gripe das aves está causando uma epidemia mortal de pneumonia em focas bebês na costa nordeste dos Estados Unidos, e pode representar um risco para humanos, segundo uma pesquisa americana publicada esta terça-feira. A nova cepa recebeu o nome de avian H3N8 e é apontada como responsável pelas mortes de 162 focas ao longo da costa americana no ano passado, reportou o estudo publicado no periódico mBio, da American Society for Microbiology.

A maior parte das focas mortas eram menores de seis meses. Embora não tenha havido registro de casos humanos, cientistas da Universidade de Columbia, em Nova York, pediram cautela, em vista do histórico da gripe das aves e sua habilidade em evoluir para formas capazes de infectar pessoas, como o H5N1.

"Nossas descobertas reforçam a importância de vigiar a vida selvagem na previsão e prevenção de pandemias", disse W. Ian Lipkin, professor de epidemiologia da Escola de Saúde Pública Mailman, da Universidade de Columbia."HIV/Aids, Sars, (vírus do) oeste do Nilo e influenza são exemplos de doenças infecciosas emergentes que se originaram em animais", acrescentou Lipkin.

"Qualquer surto da doença em animais domésticos ou selvagens, embora represente uma ameaça imediata à preservação da vida selvagem, também deve ser considerado potencialmente perigoso para os humanos", prosseguiu.

Os cientistas decodificaram o DNA da nova cepa e descobriram que ela se originou de um vírus da gripe das aves que circula entre aves aquáticas da América do Norte desde 2002. Com o passar do tempo, o vírus desenvolveu a habilidade de infectar mamíferos, acoplando-se a receptores de seu trato respiratório.

Felpuda


Nos bastidores, conversas, ou melhor, quase sussurros, dão conta de que compromisso assumido teria prazo de validade se acontecer a vitória de aliado.

A partir de então, o papo passaria a ser bem, mas bem diferente mesmo, pois, com acordo cumprido, novos objetivos passariam a ser fonte dos desejos, e sem nenhuma moeda de troca.

No caso, não haveria mais sequer um fio de bigode. Tipo, cada um na sua.