Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIDADES

Olho Vivo começa a multar em dois meses

Olho Vivo começa a multar em dois meses
13/07/2010 15:00 -


karine cortez

Em dois meses os motoristas de Campo Grande começarão a ser multados pelo sistema de Olho Vivo instalado em cinco pontos da Capital. Ontem, a Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran) concluiu a colocação de mais um dos equipamentos, desta vez na Rua Joaquim Murtinho, em frente a Escola Estadual Hércules Maymone. Outro ponto onde o Olho Vivo já está disponibilizado é na Avenida Gury Marques, em frente ao novo Terminal Rodoviário Senador Mendes Canale. Até o fim deste mês, a Agetran termina as instalações e haverá mais 30 dias para a campanha educativa, orientando os condutores sobre a presença dos aparelhos.
Depois desse prazo, já começam a ser emitidas as multas para quem desrespeitar sinalização semafórica, estiver transitando acima da velocidade ou parar em cima da faixa de pedestre. O condutor que cometer qualquer uma das irregularidades receberá multa no valor de R$ 574,72 e perderá 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). “As vias onde serão instalados os quatro equipamentos são pontos onde ocorrem o maior número de acidentes com pedestres. O nosso objetivo é dar mais segurança para a população”, explicou o diretor-presidente da Agetran, Rudel Trindade Júnior.
Nem mesmo a presença do equipamento inibiu os condutores que insistem em desrespeitar a parada obrigatória em sinal vermelho, como foi flagrado pela reportagem do Correio do Estado na frente do terminal rodoviário.

Locais fiscalizados
Além da Rua Joaquim Murtinho e da Avenida Gury Marques, os equipamentos também serão instalados nos cruzamentos da Rua Paulo Coelho Machado com a Avenida Afonso Pena, ao lado do Shopping Campo Grande, da Avenida Mato Grosso com a Rua Bahia e em frente o Centro de Convivência do Idoso Vovó Ziza, na Rua Joaquim Murtinho.

Felpuda


Casal de políticos muito conhecido a-do-ra cargos públicos, e, assim, “um puxa o outro” na maratona política, que inclui disputa de mandatos, direção de órgãos e até mesmo nomeações com prerrogativa de não ter de bater ponto. A nova empreitada agora é conquistar uma das prefeituras do interior. Em caso de derrota, é quase certo que os nomes de ambos deverão aparecer no Diário Oficial antes mesmo do fim deste ano.