Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIDADES

Operação aborda 698 pessoas e prende 45

Operação aborda 698 pessoas e prende 45
13/04/2010 21:00 -


Vânya santos

Em cinco dias de operação contra “feira livre” do tráfico de drogas, policiais militares prenderam 45 pessoas, abordaram 698 suspeitos, vistoriaram 92 veículos e 35 estabelecimentos comerciais. A fiscalização foi intensificada no período de 7 a 11 de abril, nas proximidades do Mercadão Municipal e das praças Ary Coelho e Rádio Clube.

O comandante do 1º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Holivaldo de Jesus Muniz, avaliou o resultado como positivo e garantiu que a fiscalização irá continuar. Ele admitiu que o tráfico de drogas dá origem a uma série de outros crimes porque, para sustentar seu vício, o usuário tenta conseguir dinheiro praticando furtos e assaltos.

O tenente-coronel não informou a quantidade de droga apreendida, mas revelou que foi pequena porque as porções encontradas eram para uso pessoal e não para distribuição. Ainda conforme o comandante, comerciantes da região entraram em contato com a polícia para informar que o local estava mais tranquilo depois da fiscalização.

A operação deflagrada para inibir a “feira livre” do tráfico de drogas, instalada à noite em pontos da região central, como na Rua 7 de Setembro, por exemplo, contou com atuação de militares e equipe da Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais. No primeiro dia, 52 policiais atuaram na fiscalização e nos demais dias, o efetivo foi de 30 militares.

Depois que o jornal Correio do Estado mostrou a livre comercialização de drogas no centro de Campo Grande, equipe de inteligência da polícia mapeou os locais onde o tráfico é mais intenso. Foram alvo de estudo as praças Ary Coelho e Rádio Clube, além das ruas 26 de Agosto, 7 de Setembro, 15 de Novembro, Calógeras, 14 de Julho e Rui Barbosa.

Felpuda


Casal de políticos muito conhecido a-do-ra cargos públicos, e, assim, “um puxa o outro” na maratona política, que inclui disputa de mandatos, direção de órgãos e até mesmo nomeações com prerrogativa de não ter de bater ponto. A nova empreitada agora é conquistar uma das prefeituras do interior. Em caso de derrota, é quase certo que os nomes de ambos deverão aparecer no Diário Oficial antes mesmo do fim deste ano.