Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIDADES

Para clientes, agência alega problema técnico

Para clientes, agência alega problema técnico
07/08/2010 06:08 -


Aos clientes que procuraram a agência central do Banco do Brasil, a justificativa para o não funcionamento foi outra. Na porta de acesso ao local foram fixados cartazes avisando que a agência não funcionaria, ontem, por “problemas técnicos”. Do lado de dentro do prédio, atendentes orientavam as pessoas a voltarem na segunda-feira ou procurarem outra agência.
Indignado o aposentado João Sidney de Figueiredo, 71 anos, ficou irritado ao saber que deixou o local sem saber como faria para cumprir o compromisso de pagar a arquiteta e pedreiros que estão trabalhando na obra em sua residência. “Nunca faltei com meus compromissos e agora ficarei devendo por falta de compromisso do banco com seus clientes. Por que não avisaram com antecedência que não abririam hoje?”, indagou, sem saber o real motivo pelo qual a agência estava fechada.
A funcionária pública Evelina da Silva, 60 anos, que é cliente da agência também esteve no local para efetuar um pagamento no caixa e saiu em busca de outro local para quitar a dívida. “Essa atitude é uma falta de consideração e respeito com o cidadão. Será que seria muito difícil avisarem os clientes com antecedência?”, questionou também sem saber da ação milionária.
A contadora Maria Silvia Nata Clemente, 58 anos,  esteve no local para fazer saque acima do valor permitido para ser efetuado nos terminais eletrônicos, mas não conseguiu. “Não custava nada ter avisado com antecedência”, observou. Durante o início da tarde, alguns advogados do banco permaneceram na agência, mas não quiseram falar sobre o fato. (KC)

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...