Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Passageiro "surta" e obriga avião a pousar em Cumbica

Passageiro "surta" e obriga avião a pousar em Cumbica
03/06/2008 11:16 -


     
        
        Um Airbus A-320 da TAM precisou fazer um pouso de emergência no aeroporto de Cumbica (Grande SP) ontem à tarde, logo após sair de Congonhas (zona sul) com destino a Brasília. Um passageiro supostamente com problemas mentais precisou ser retirado pela Polícia Federal após ter uma espécie de "surto psicótico" e quebrar uma lanterna dentro do avião com um chute. O passageiro, que estava sentado próximo à saída de emergência, não teve o nome revelado pela companhia aérea. Ele começou a gritar palavrões já durante a decolagem em Congonhas, obrigando os comissários a tentar controlá-lo enquanto o sinal para atar os cintos ainda estava ligado.
        
        O comandante foi chamado, e um dos comissários amarrou as pernas do homem com uma gravata, enquanto o vôo era desviado para Cumbica --o que levou ao menos 15 minutos. Um esquema especial foi preparado para o pouso da aeronave em Cumbica, com carros da segurança da Infraero e ambulâncias. Pelo menos dois policiais federais subiram no avião para retirar o passageiro. Ele foi levado a um hospital, onde foi medicado e liberado logo em seguida.
        Toda a operação, que incluiu o conserto da lanterna quebrada, levou aproximadamente 40 minutos. O avião chegou a Brasília duas horas depois do horário previsto. Pelo menos um passageiro desistiu de continuar a viagem na aeronave. Até o fechamento desta edição, a TAM não havia comentado o caso.
        
        Com informações da Folha Online
        
        

Felpuda


Sem conseguir controlar a verborragia, figurinha estreante no mundo político-partidário, e que se acha “o último biscoito do pacote”, acabou batendo de frente com titãs da política. Primeiro perdeu os anéis e, agora, os dedos correm sérios riscos. Anda “ameaçando” deixar o lugar onde se encontra, só que por lá vem ouvindo frases como “se é por falta de adeus...”, “os incomodados que se mudem” e “não fará nenhuma falta”.

Como se vê...