Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Pedida prisão preventiva dos PMs que liberaram carro de atropelador de Rafael

Pedida prisão preventiva dos PMs que liberaram carro de atropelador de Rafael
26/07/2010 12:00 -


     

A Corregedoria Interna da Polícia Militar pediu, na manhã desta segunda-feira (26), à Auditoria de Justiça Militar que decrete a prisão preventiva de 30 dias dos dois policiais militares que liberaram o carro do atropelador do músico Rafael Mascarenhas. As informações são do relações públicas da PM, capitão Ivan Blaz.

O sargento da Polícia Militar Marcelo Leal e o cabo da PM Marcelo Bigon se apresentaram à polícia, e estão presos no 23º BPM (Leblon), onde trabalhavam.

Eles prestaram depoimento no domingo (25) na Primeira Delegacia de Polícia Judiciária Militar, em Sulacap, na Zona Oeste do Rio. Rafael Bussamra, que confessou ter atropelado o músico Rafael Mascarenhas, chegou à 15ª DP (Gávea), por volta de 10h desta segunda-feira (26) acompanhado de seu advogado. Ele presta um novo depoimento, e entrou na delegacia sem falar com a imprensa.

Na sexta-feira (23), o pai do atropelador, Roberto Bussamra, afirmou em depoimento na delegacia, que pagou R$ 1 mil para que ele os dois PMs que abordaram o carro do filho liberassem o jovem após o atropelamento. O pai do rapaz afirmou que os policiais pediram um total de R$ 10 mil de propina.

Rafael Mascarenhas, de 18 anos, morreu após ser atropelado quando andava de skate no Túnel Acústico, na Zona Sul, que estava com um trecho fechado para manutenção. Ele era filho do saxofonista Raul Mascarenhas e da atriz Cissa Guimarães.

Felpuda


Sem conseguir controlar a verborragia, figurinha estreante no mundo político-partidário, e que se acha “o último biscoito do pacote”, acabou batendo de frente com titãs da política. Primeiro perdeu os anéis e, agora, os dedos correm sérios riscos. Anda “ameaçando” deixar o lugar onde se encontra, só que por lá vem ouvindo frases como “se é por falta de adeus...”, “os incomodados que se mudem” e “não fará nenhuma falta”.

Como se vê...