Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FENÔMENO MUSICAL

Pet Shop Boys,a dupla superlativa de 76 milhões de álbuns

Pet Shop Boys,a dupla superlativa de 76 milhões de álbuns
15/09/2010 23:49 - FAUSTO BRITES


Pet Shop Boys, dupla britânica precursora da musica eletrônica e que já vendeu mais de 76 milhões de álbuns, sobe aos palcos do Credicard Hall, dia 13 de outubro, e do Citibank Hall/RJ, dia 14 de outubro. O duo criador de hits como "West End Girls", "Domino Dancing" e "Love, etc" apresenta a turnê "Pandemonium World".
Em sua quarta visita ao Brasil, Pet Shop Boys executará seus sucessos, como "Always on My Mind", e as canções do CD "Yes" (EMI Music), décimo disco da dupla lançado em março de 2009, que combina música pop e eletrônica. Neil Tennant e Chris Lowe co-escreveram três das onze faixas do novo álbum com a equipe de produtores da Xenomania, que já trabalhou com Girls Aloud, Sugababes, Gabriella Cilmi. As outras faixas foram escritas pela dupla com inspiração em Tchaikovsky, caso de "All over the world". O álbum foi produzido por Brian Higgins (Xenomania). O lançamento de "Yes" foi precedido pelo single "Love, etc", também lançado em março de 2009, e que surpreendeu com a música "We´re All Criminals Now". A canção é uma homenagem ao brasileiro Jean Charles de Menezes - morto no metrô de Londres (Inglaterra) em 22 de julho de 2005. Já a canção "Love etc", é descrita pelo Pet Shop Boys como "pós-estilo de vida, hino que soa como nada que fizemos antes".
A última vez que o Pet Shop Boys se apresentou no Brasil foi em março de 2007. A primeira foi em 1994, com shows no Rio de Janeiro e em São Paulo. Em 2004 eles voltaram ao país, apresentando-se apenas uma vez, em São Paulo. Essas visitas renderam influências assumidamente brasileiras no álbum Bilingual (1996), no qual utilizaram sons de percussão do grupo Olodum.
A turnê pela América do Sul também passará pela Argentina, Chile, Venezuela, Peru e a República Dominicana, localizada na América Central.

 

Felpuda


Partido político está vivendo processo de autofagia cá por essas bandas. Nada de ideologia ou defesa dos interesses dos filiados. O problema, segundo os mais observadores, é que lideranças não se contentaram em ter cada uma o seu pedaço e decidiram tomar conta com exclusividade do espólio, que, aliás, é regado com cifras milionárias. A legenda deverá se transformarem uma máquina de lavar, no caso, cheia de roupas sujas. E dê-lhe!