Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESTRANGULADO E ESFAQUEADO

Presa quadrilha que matou comerciante para roubar carro

Presa quadrilha que matou comerciante para roubar carro
29/12/2013 13:30 - TARYNE ZOTTINO


Cinco homens foram presos na madrugada de hoje (29), em Naviraí (MS), depois de sequestrarem e matarem o comerciante Maurílio Messias, de 76 anos, para roubar o carro dele, um Ford Fiesta, que pretendiam vender no Paraguai para comprar drogas. O crime aconteceu na tarde de ontem (28) e a quadrilha foi presa pelo latrocínio (roubo seguido de morte) na madrugada de hoje (29). Foram capturados: Nilton Rebolsa, 30, Antonio Camargo dos Santos, 19, Ederson Ivanildo Godez, 33, Jhonny Almeida Gonçalves, 24, e Emerson Pereira Caetano, de 27 anos. 

No sábado, a vítima recebeu uma ligação de Nilton, que era seu inquilino, pedindo que comparecesse na Rua 5 de Outubro, Jardim Eldorado, para receber R$ 450 em aluguéis atrasados. O idoso pegou o Fiesta e se deslocou até o endereço indicado. Horas depois, ainda não havia voltado para casa e seu filho, um empresário da cidade, foi até a Delegacia de Polícia Civil para registrar o caso.

Por volta das 21h, os policiais foram informados que o veículo da vítima havia furado uma barreira policial em Mundo Novo (MS). A PM então conseguiu interceptar o carro, ocupado por José Antônio e Nilton. A dupla confessou o crime, afirmando que sequestraram o idoso e o deixaram amarrado em um canavial perto de uma estrada vicinal. A polícia foi até o local e localizou o corpo. Os bandidos estrangularam a vítima com um pedaço de corda. Em seguida, a golpearam com um facão na região do tórax e do pescoço. José Antônio e Nilton entregaram os outros três comparsas, que também foram presos.

(Com informações do Tá na Mídia Naviraí)

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.