Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Prévias do PMDB entram na última semana

Prévias do PMDB entram na última semana
03/03/2010 05:45 -


Faltando cinco dias para filiados do PMDB de Mato Grosso do Sul escolherem o candidato do partido ao Senado em eleições prévias que a legenda realizará nos 78 municípios do Estado no próximo domingo, os dois concorrentes à vaga adotam estratégias diferentes. O deputado federal Waldemir Moka optou por não ir ao Congresso nesta semana e ficar no Estado assegurando votos dos correligionários, enquanto o senador Valter Pereira está desde segundafeira em Brasília, mas quer antecipar a volta para hoje. Moka avisou o líder da bancada do PMDB na Câmara dos Deputados que não iria a Brasília nesta derradeira semana de campanha das prévias. Entretanto, devido aos estragos causados pelas chuvas em Campo Grande, disse que, como coordenador da bancada federal do Estado, acompanhará o prefeito Nelsinho Trad (PMDB) ao Distrito Federal para pedir ao ministro Gedel Vieira Lima, da Integração Nacional, liberação de verbas para socorrer a cidade. “O Nelsinho me pediu para marcar audiência com o ministro e vou acompanhar o encontro”, explicou. O deputado contou ter percorrido os 78 municípios do Estado e agora concentra a campanha na Capital e em cidades próximas. Esteve em Camapuã na segunda-feira e, ontem, em Aquidauana e Anastácio. Deixou a agenda livre até amanhã, quando acompanhará o prefeito na visita a Brasília. Em Brasília O senador Valter Pereira começou a semana em Brasília. “Não quero descolar das minhas responsabilidades parlamentares. Tenho de conciliar as duas coisas”, explicou, por telefone, na segunda-feira. Disse que pretende antecipar sua volta a Campo Grande para esta quarta-feira à noite. “Assim que chegar vou me reunir com a coordenação de campanha”, adiantou. Valter informou ter percorrido a maioria dos municípios do Estado nos últimos meses. “Concentrei minha campan ha naqueles com maior densidade de filiados”, afirmou. Amanhã o senador terá reunião em Bataguassu. “Depois vou concentrar a campanha em Campo Grande, fazendo contatos por telefone com o interior”, explicou. A campanha continua no dia da eleição. Conforme o senador, a única restrição é que o Diretório Regional do PMDB resolveu não permitir “boca de urna” dentro dos locais de votação. Em Campo Grande, por exemplo, as urnas eletrônicas fornecidas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS) funcionarão na Escola Estadual Joaquim Murtinho, no centro da cidade. “Em frente ao colégio, os candidatos poderão pedir votos. A restrição é só na parte interna”, informou. (ME)

Felpuda


Nos bastidores, há quem garanta que a única salvação, de quem está com a corda no pescoço, é ele aceitar ser candidato a vice-prefeito em chapa de novato no partido. Vale dizer que isso nunca teria passado por sua cabeça, uma vez que foi eleito com, digamos, “caminhão de votos”. Se aceitar a imposição, pisaria na tábua de salvação; se recusar, poderá perder o mandato. Ah, o poder!