Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

EGITO

Primeiro dia de votação deixa pelo menos 9 mortos

Primeiro dia de votação deixa pelo menos 9 mortos
15/01/2014 02:00 - FOLHA PRESS


 O primeiro dos dois dias do referendo sobre a nova Constituição no Egito foi marcado pelo apoio ao chefe do exército egípcio, Abdel Fatah al Sisi, assim como pelos protestos islamitas, nos quais morreram pelo menos nove pessoas em distintas áreas do país.

Os colégios eleitorais fecharam suas portas ontem por volta das 21h locais (17h de Brasília), informou a televisão estatal.

O canal mostrou imagens dos juízes de várias mesas eleitorais selando as urnas nas quais foram depositadas as cédulas, na presença soldados das forças da ordem.
Mais de 52,7 milhões de egípcios estavam convocados desde as 9h locais (5h de Brasília) em 30.337 colégios eleitorais para uma votação que se seguirá amanhã.

O referendo faz parte do plano traçado pelos militares após a destituição do presidente islamita Mohammed Mursi, que prevê também a realização de eleições presidenciais e parlamentares nos próximos meses.

A Irmandade Muçulmana pediu um boicote ao referendo, em rejeição ao golpe de Estado do exército no último dia 3 de julho.

A nova Constituição substitui a aprovada pela Irmandade em 2012, que foi suspensa pelos militares.

Por meio da consulta, as autoridades buscam legitimar seu roteiro para o país, por isso fizeram forte campanha a favor do texto, que diminui o tom islamita da Constituição anterior e reforça o papel das Forças Armadas.

Espera-se que a Constituição seja aprovada com folga devido à campanha fraca para o "não" e o boicote dos principais opositores ao texto.
Mortes  

Felpuda


Figurinha cuja eleição estava sub judice trabalha intensamente para ter a votação legalizada. Isso acontecendo, garante uma das cadeiras de vereador. Assim, quem hoje foi proclamado eleito vai para a fila da suplência.

Caso isso ocorra, a figurinha que corre o risco não deverá ficar desamparada, pois deixou secretaria municipal para disputar as eleições e poderá ter a cadeira de volta em 2021. Agora, resta esperar para ver onde vai parar.