Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

Programa destinará R$ 41 milhões à Capital

Programa destinará R$ 41 milhões à Capital
26/03/2010 05:53 -


Instituições de apoio à indústria anunciaram na última quarta-feira, em Campo Grande, a liberação de R$ 41,4 milhões para educação e formação profissional por meio do “Programa Indústria Ativa Regional”. O Serviço Social da Indústria (Sesi), por exemplo, criará 3.077 vagas na educação, enquanto o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) vai capacitar 7.958 alunos. Ações como essas serão expandidas para as cidades de Três Lagoas e Corumbá, consideradas polos de investimento no Estado. Para Campo Grande, estão nos planos da Federação das Indústrias de MS (Fiems) a modernização da Fatec-Senai e da estrutura da entidade, além de cursos de ferramenteiro e construção do centro de gestão e automação comercial, entre outras ações. O projeto do setor prevê implantação da Universidade da Indústria Ativa (Uniativa), que oferecerá programas de atualização a técnicos, empresários e gestores das indústrias. O primeiro curso, Gestão da Inovação, começa em abril. Segundo a federação, o diferencial da universidade será a parceria com escolas, sindicatos e centros de pesquisa. No segundo semestre será organizada grade de cursos que seguirá a demanda das indústrias, como Administração Geral, Gestão de Pessoas, Comércio Exterior, Gestão de Custos e Participação, Gestão Ambiental, Gestão da Inovação, Gestão Estratégica, Gestão de Marketing, Gestão da Produção e Gestão da Qualidade. O programa inclui ainda cooperações técnicas do Senai com Sindicato Intermunicipal das Indústrias do Vestuário (Sindivest), Sindicato das Indústrias Gráficas (Sindigraf) e Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria (Sindepan) para aperfeiçoar profissionais desses segmentos.

Felpuda


Sem conseguir controlar a verborragia, figurinha estreante no mundo político-partidário, e que se acha “o último biscoito do pacote”, acabou batendo de frente com titãs da política. Primeiro perdeu os anéis e, agora, os dedos correm sérios riscos. Anda “ameaçando” deixar o lugar onde se encontra, só que por lá vem ouvindo frases como “se é por falta de adeus...”, “os incomodados que se mudem” e “não fará nenhuma falta”.

Como se vê...