Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Projeto Carnaval da Apex-Brasil dobra expectativa de negócios

Projeto Carnaval da Apex-Brasil dobra expectativa de negócios
11/03/2014 14:31 - Agência Brasil


O resultado obtido pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) no carnaval deste ano superou a expectativa inicial de geração de US$ 341 milhões em negócios nos próximos 12 meses. “Na realidade, quase dobrou”, disse hoje (11), em entrevista à Agência Brasil, o coordenador do Projeto Carnaval, Diogo Akitaya.

O projeto visa a estreitar relações entre empresas brasileiras e potenciais importadores e distribuidores estrangeiros, com o objetivo de ampliar as exportações nacionais e gerar divisas para o país. O evento reuniu em duas etapas 296 convidados estrangeiros, entre compradores e formadores de opinião de 50 países, além de 200 representantes brasileiros, sendo 169 de empresas e 31 de entidades setoriais.

Todos cumpriram uma ampla agenda de encontros, encerrada no Sambódromo do Rio, nos dias 2 e 3 deste mês, com os desfiles das escolas de samba do grupo especial e, no sábado, o desfile das campeãs (8).

Os negócios gerados para os próximos 12 meses alcançaram US$ 628,41 milhões. “Isso é muito importante para a gente, nesse tipo de formação, porque mostra que lá mesmo no evento [carnaval], o contato foi bem maior entre os empresários brasileiros e os potenciais compradores e importadores, o que acarretou também a melhor expectativa dos negócios por parte dos empresários brasileiros”. Os números foram bastante comemorados pela agência porque, reiterou Akitaya, “refletem o trabalho da Apex e das empresas, e isso vai gerar exportações e divisas para o país”.

Segundo o coordenador, os produtos brasileiros de maior valor agregado tiveram destaque nas negociações com os importadores estrangeiros. Ele apontou, em especial, o setor de máquinas e equipamentos odontológicos e hospitalares. “Teve excelentes resultados e confirmações de parcerias entre os convidados com as empresas brasileiras”. Citou, entre elas a Fame, que produz incubadoras para bebês, e a Gnatus, que trabalha com setor odontológico.

Outro setor que atraiu a atenção dos estrangeiros, além dos tradicionais segmentos de alimentos e bebidas, móveis e moda, foi o de audiovisual, propaganda e televisão. Segundo Diogo Akitaya, os visitantes estrangeiros demonstraram interesse em locações no país para fazer filmagens e comerciais. O coordenador avaliou que isso significa mais do que divisas para o Brasil, “porque é a contratação de serviços brasileiros e a imagem do Brasil que vai para o exterior de uma forma produtiva”.

O Projeto Carnaval é promovido pela Apex-Brasil desde 2009, e acumula um total de 1,5 mil convidados, gerando negócios para mais de 35 setores econômicos do país. Ele integra o Programa de Marketing e Relacionamento da agência, que trabalha com vários eventos esportivos e culturais dentro do Brasil e em outros países.

Um dos eventos, cuja estrutura está sendo fechada pela Apex-Brasil, se relaciona à Copa do Mundo, que ocorrerá em 12 cidades-sede brasileiras no período de 12 de junho a 13 de julho próximo. “A Apex-Brasil tem uma expectativa enorme sobre o projeto, porque é um evento único”, comentou Akitaya. Ele espera ter uma definição sobre o número de países e participantes estrangeiros que virão para o Projeto Copa no mês de abril. “Com certeza, nós vamos ter resultados muito bons”, acrescentou.

Até o momento, 170 empresas brasileiras se inscreveram para buscar estreitar relações com compradores do exterior e fazer negócios durante o evento. A estratégia da Apex-Brasil consiste em recepcionar os convidados das empresas brasileiras em ambientes de hospitalidade que serão construídos ao lado dos estádios de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e Fortaleza, que receberão, em média, dois a três jogos por sede. “Tudo está bem encaminhado”, disse Diogo Akitaya.

Felpuda


Pelo andar da carruagem, aqueles que se acham “proprietários” de certo partido não estão conseguindo encontrar alguém que possa encarar o desafio de ser cabeça de chapa e enfrentar adversários na disputa para prefeito. Até mesmo solução interna está difícil, porque   “lo mismo” mostra-se relutante em colocar a chuteira e participar do jogo. Tudo indica que a paciência do eleitor já se esgotou com a legenda, pelo que já foi demonstrado pelas urnas. E sai de baixo!