Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MANIFESTAÇÃO PELA SAÚDE

Protesto de indígenas mantém MS-156 fechada

Protesto de indígenas mantém MS-156 fechada
18/02/2014 08:15 - DA REDAÇÃO


O bloqueio da MS-156, rodovia que liga Itaporã e Dourados (MS), segue durante o dia de hoje (18). A rodovia foi fechada novamente às 7h por profissionais de saúde da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) e moradores da reserva de Dourados. O grupo protesta contra as condições de funcionamento dos quatro postos de saúde que atendem 13 mil indígenas das aldeias Jaguapiru I e II e Bororó I e II. As unidades não teriam remédios e insumos básicos para atendimento. Além disso, há também, segundo relato dos profissionais de saúde, atraso nos salários dos servidores

O protesto segue por tempo indeterminado e a rodovia permanece bloqueada pelo menos até às 17h. Para quem precisa ir e vir no trecho entre Itaporã e Dourados, a melhor opção são as rotas alternativas ao entorno da MS-156. Os manifestantes dizem que encerram a mobilização depois que a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) formar uma comissão para que os indígenas possam ir até Brasília cobrar providências na Sesai com relação à infraestrutura de saúde, e também a efetivação de Luiz Antônio de Oliveira Junior como coordenador distrital da secretaria no Estado.

De acordo com o grupo, o coordenador, que assumiu interinamente o cargo após indicação do Conselho de Saúde Indígena no fim do ano passado, ainda não foi reconhecido como tal em Brasília. Ontem, o protesto dos indígenas gerou certo transtorno a motoristas que foram pegos de surpresa e acabaram ‘presos’ em um congestionamento. 

(Com informações do Dourados News)

Felpuda


Pré-candidatos que em outras eras cumpriram mandato e hoje sonham em voltar a ter uma cadeira para chamar de sua estão se esmerando em apresentar suas folhas de trabalho. O esforço é grande para mostrar os serviços prestados, mas estão se esquecendo que a cidade cresceu, os problemas aumentaram e aquilo que já foi tido como grande benefício hoje não passa da mais simples obrigação diante do progresso e das novas exigências legais. Assim sendo....