Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORRIDA AO SENADO

PSC muda de lado e Pedro Chaves será suplente de Delcídio

PSC muda de lado e Pedro Chaves será suplente de Delcídio
02/07/2010 06:30 -


Lidiane kober

O PSC mudou de lado na sucessão estadual e indicou o economista Pedro Chaves para a suplência do senador Delcídio do Amaral (PT) na corrida pela sua reeleição. O anúncio aconteceu ontem, depois de duas semanas de negociação com a cúpula nacional do PSC. O entendimento ampliou para nove o número de partidos do arco de aliança do ex-governador José Orcírio dos Santos (PT) e aumentou em 26 segundos seu tempo de propaganda gratuita na televisão e no rádio.
Delcídio foi o último candidato ao Senado a informar seu suplente, pois acreditava em manter a “dobradinha” com o jornalista Antonio João Hugo Rodrigues (PTB). Porém, o PTB firmou pacto com o governador André Puccinelli (PMDB), inviabilizando a continuidade da parceria.
Com a oficialização da aliança do PTB com o PMDB em convenção partidária, Delcídio iniciou a corrida em busca de um suplente. “Como tenho responsabilidades, busquei um quadro qualificado para substituir à altura o Antonio João”, ressaltou.
Segundo o senador, no final da semana passada foi ventilada a indicação de Pedro Chaves. Até então, o PSC estava no arco de aliança de Puccinelli. Daí teve início a negociação com a cúpula nacional do partido, que ainda não tinha definido seu rumo na sucessão presidencial. Anteontem à noite, a indefinição acabou com o anúncio do PSC de apoio à candidatura de Dilma Rousseff (PT) na eleição presidencial. Como em Mato Grosso do Sul Puccinelli firmou coligação com José Serra (PSDB), a decisão da direção nacional uniu o PSC ao PT no Estado.

Chapas
Segundo o presidente regional do PT, Marcus Garcia, que será o segundo-suplente de Delcídio, o PSC ficará na chapa do PDT, PCdoB e PRP na corrida por vagas de deputado estadual, indicando seis candidatos, além de dois a deputado federal.
Também figuram no arco de aliança de Orcírio o PP, PSL, PV e PSDB. Pelos cálculos de Garcia, a coligação dará de seis a sete minutos de propaganda eleitoral ao partido. Enquanto isso, Puccinelli, que aglutinou 15 siglas, terá em torno de 12 minutos.
Conforme Delcídio, a indicação de Marcus Garcia para a segunda suplência ainda pode mudar até 5 de julho, prazo final para o registro de candidaturas.

Felpuda


Os bastidores fervem com a ciumeira que vem acontecendo em alguns municípios, onde determinados candidatos estariam sendo mais prestigiados que outros depois das alianças que foram formalizadas nas convenções. As queixas só aumentam, e as lideranças partidárias já não sabem o que fazer, temendo a possibilidade de que a vitória vá para o ralo. A bronca maior está entre integrantes das chapas puras de vereadores que se coligaram na majoritária. E salve-se quem puder!