Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PSDB vai tentar convencer Nelsinho a desistir de Dilma

PSDB vai tentar convencer Nelsinho a desistir de Dilma
26/02/2010 06:24 -


O comando do PSDB quer se reunir com o prefeito Nelsinho Trad (PMDB) para tentar convencê-lo a trocar o palanque da ministra Dilma Rousseff (PT) pelo do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), na sucessão presidencial. Os tucanos entendem ser necessário o prefeito refletir melhor antes de virar as costas para o partido, que há quase 20 anos é fiel ao PMDB. O encontro ainda não tem data marcada, mas os deputados do PSDB já sabem exatamente o que vão falar para tentar mudar a posição de Nelsinho. Eles consideram ilusão do prefeito se “encantar” com a proposta do Planalto de aumentar investimentos federais em Campo Grande para atraí-lo ao palanque de Dilma. O prefeito tem posição diferente dos tucanos. Ele justificou o seu engajamento na campanha de Dilma por questão de gratidão. O prefeito avalia, portanto, não ter como ficar contra a candidata do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), justamente pelos altos investimentos do governo federal em Campo Grande. “Respeito a posição do prefeito, mas o presidente não fez nenhum favor ao destinar recursos para a Capital. Isso não é nada mais do que sua obrigação”, comentou o presidente regional do PSDB, deputado Reinaldo Azambuja. Mas se os investimentos foram cruciais para a decisão de Nelsinho de apoiar Dilma, o dirigente tucano assegura atenção especial a Campo Grande se o PSDB vencer a eleição presidencial. “A nossa parceria dura quase 20 anos, isso significa a certeza de fidelidade e de segurança, ao contrário do PT, que representa o antagonismo ao PMDB”, ressaltou. Ainda destacando a parceria de anos com os peemedebistas, os tucanos cobraram mais fidelidade do prefeito na sucessão presidencial. “Ajudamos a eleger e reeleger o Nelsinho, por isso, acreditamos que ele vai ficar do nosso lado”, frisou o deputado Professor Rinaldo (PSDB). “Em consideração a nossa parceria que dura anos, vamos pedir no mínimo mais reflexão por parte do prefeito”, acrescentou Azambuja. Out ro a rgumento dos tucanos para atrair o apoio de Nelsinho leva em conta a sua declaração de colocar em primeiro lugar a reeleição de Puccinelli para governador. “Como ele diz que a prioridade é o André e existe a possibilidade do governador apoiar o Serra, não tem como ajudar ficando em outro palanque”, opinou Azambuja. Peça importante O empen ho em trazer Nelsinho para o palanque do PSDB leva em consideração a sua popularidade em Campo Grande, que reúne um terço dos eleitores do Estado. “Como prefeito da Capital, o Nelsinho é peça importante na eleição”, reconheceu Azambuja. “Sem contar que queremos o PMDB como um todo no palanque do Serra”, completou. “Por isso, vamos esgotar todos os nossos esforços para atrair o partido”, finalizou. A questão é que o governador de São Paulo ainda não oficializou sua pré-candidatura a presidente da República, enquanto o PT já declarou Dilma como pré-candidata. Diante da incerteza de Serra concorrer à eleição, o PMDB de Mato Grosso do Sul mantém posição de indefinição na sucessão presidencial até o início de abril. Mas os tucanos do Estado têm certeza da participação de Serra na disputa para presidente e preveem o anúncio de sua pré-candidatura para dois de abril, quando se encerra o prazo para os políticos desincompatibilizarem- se do cargo a fim de disputar a eleição.

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!