Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CPI

Relator da CPI da Saúde pede mais prazo para entregar balanço da investigação

Relator da CPI da Saúde pede mais prazo para entregar balanço da investigação
31/08/2010 03:37 -


Fábio Dorta, Dourados

O relator da CPI da Saúde da Câmara Municipal de Dourados, vereador Humberto Teixeira Júnior (PDT), pediu mais 15 dias para entregar o relatório da investigação. O prazo havia vencido na última sexta-feira, dia 27, mas a Mesa Diretora da Câmara autorizou a prorrogação, que já e a segunda, desde que a CPI foi instaurada há cerca de quatro meses.
A justificativa principal para o pedido de prorrogação foi a demora no envio de documentos por parte da Prefeitura de Dourados e da Secretaria Municipal de Saúde. Outro problema alegado foi o atraso na contratação das assessorias jurídica e contábil.
Além de Teixeira, fazem parte da CPI os vereadores Dirceu Longhi (PT) como presidente e Júlio Artuzi (PRB) como integrante. De acordo com o presidente, o relatório deverá ser entregue na secretaria da Câmara na próxima segunda-feira, dia 6 de setembro e lido na sessão ordinária que acontece no mesmo dia.

Investigações
A CPI foi criada com o objetivo de investigar denúncias de irregularidades na aplicação de recursos federais do Sistema Único de Saúde (SUS) nos últimos dois anos da administração do ex-prefeito Laerte Tetila (PT) e nos primeiros 15 meses da gestão atual comandada por Ari Artuzi (PDT).
De acordo com Dirceu Longhi, vários indícios de irregularidades na gestão da saúde pública em Dourados foram encontrados durante as investigações, principalmente, na gestão dos hospitais públicos que estão sob responsabilidade do município, o Hospital da Vida e o Hospital da Mulher. “Quando o relatório estiver concluído vamos convocar a imprensa para torná-lo de conhecimento da sociedade”, afirmou Longhi.
Além da CPI, o setor da saúde nas gestões de Laerte Tetila e Ari Artuzi também foram alvos de investigações por parte da Polícia Federal com a Operação Owari.

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...