Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

VIOLÊNCIA

SDH diz que relatos sobre morte de adolescente em São Paulo indicam crime de ódio motivado por homo

SDH diz que relatos sobre morte de adolescente em São Paulo indicam crime de ódio motivado por homo
18/01/2014 17:30 - AGÊNCIA BRASIL


– A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH) manifestou solidariedade à família de Kaique Augusto Batista dos Santos, morto no último sábado (11) na capital paulista. O corpo do jovem foi encontrado pela Polícia Militar de São Paulo próximo a um viaduto na região da Bela Vista, na Avenida 9 de Julho.

De acordo com a SDH, as circunstâncias da morte e as condições do corpo da vítima, baseados nos relatos dos parentes, indicam que se trata de crime de ódio e intolerância motivado por homofobia. “Diante desse grave cenário, assim como faz em outros casos que nos são denunciados, a SDH está acompanhando o caso junto com as autoridades estaduais, no intuito de garantir a apuração rigorosa do caso e evitar a impunidade”, disse em nota a secretaria.

A ministra da SDH, Maria do Rosário, designou o coordenador-geral de Promoção dos Direitos de LGBT e presidente do Conselho Nacional de Combate à Discriminação LGBT, Gustavo Bernardes, para acompanhar o caso pessoalmente.

“Informamos ainda que a Secretaria de Direitos Humanos está investindo recursos para a ampliação dos serviços do Centro de Combate à Homofobia da Prefeitura Municipal de São Paulo, fortalecendo a rede de enfrentamento à homofobia”, acrescentou a SDH.

De acordo com dados do Relatório de Violência Homofóbica, produzido pela SDH, em 2012, houve um aumento de 11% dos assassinatos motivados por homofobia no Brasil em comparação a 2011.

“Reiteramos a necessidade de que o Congresso Nacional aprove legislação que explicitamente puna os crimes de ódio e intolerância motivados por homofobia no Brasil, para um efetivo enfrentamento dessas violações de direitos humanos. O governo federal reitera seu compromisso com o enfrentamento aos crimes de ódio e com a promoção dos direitos das minorias, em especial, com a população LGBT [lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros]”.

Ontem (17), cerca de 300 pessoas, segundo a Polícia Militar (PM), protestaram nas ruas do centro de São Paulo para pedir o esclarecimento da morte de Kaique Augusto. O adolescente de 16 anos foi encontrado morto após passar a noite do último sábado (11) em bares com amigos. O caso foi registrado pela Polícia Civil como suicídio. No entanto, a família e amigos do jovem dizem que o corpo apresentava sinais de tortura.

A passeata, que saiu do Largo do Arouche, onde Kaique foi visto pela última vez no início da manhã de domingo (12), também foi um protesto contra a homofobia. A suspeita é que o adolescente foi assassinado por ser homossexual. “Nós queremos lembrar ao governo de que é preciso criminalizar todas as fobias: homofobia, transfobia, bifobia”, disse um dos organizadores do protesto, Gedilson dos Santos.

Felpuda


Pelo andar da carruagem, aqueles que se acham “proprietários” de certo partido não estão conseguindo encontrar alguém que possa encarar o desafio de ser cabeça de chapa e enfrentar adversários na disputa para prefeito. Até mesmo solução interna está difícil, porque   “lo mismo” mostra-se relutante em colocar a chuteira e participar do jogo. Tudo indica que a paciência do eleitor já se esgotou com a legenda, pelo que já foi demonstrado pelas urnas. E sai de baixo!