Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Serra quer afastar Lula e “puxar“ Dilma para a guerra

Serra quer afastar Lula e “puxar“ Dilma para a guerra
09/02/2010 01:47 -


O PSDB de Mato Grosso do Sul desqualificou as especulações sobre eventual desistência do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), da batalha pela sucessão presidencial e justificou o crescimento da ministra Dilma Rousseff (PT), indicado em pesquisas de opinião pública, como resultado da campanha “antecipada” do PT. Além disso, atestou que até maio Serra confirmará sua pré-candidatura e vai “puxar” Dilma para a “guerra” eleitoral. “Eu tenho certeza de que o Serra será o candidato do PSDB. Ele já começou a montar os palanques nos estados, inclusive, já lançou o Geraldo Alckmin como pré-candidato ao Governo de São Paulo, o que afasta a possibilidade de sua reeleição”, ressaltou o presidente regional do PSDB, deputado estadual Reinaldo Azambuja. “A mídia é quem está desvirtuando as informações (sobre a desistência de Serra)”, completou. Sobre o crescimento da ministra Dilma, conforme pesquisas, a senadora Marisa Serrano credenciou o fato à exposição da petista na mídia nacional. “Basta abrir os jornais para só se ver a Dilma. Ela é a sombra do presidente Lula, que, de tanto percorrer o Brasil com ela, teve uma estafa, com uma crise de hipertensão”, comentou. “E nós vamos continuar entrando na Justiça para tentar barrar essa campanha antecipada”, acrescentou. “A desigual exposição de Serra e de Dilma resultou no crescimento da ministra”, concluiu. Mas isso não preocupa os tucanos, que já têm estratégia montada para combater o crescimento da petista e a transferência de votos do presidente. “Assim que o Serra se afastar do Governo de São Paulo, vai puxar a Dilma para o debate porque a candidata é ela e não o presidente Lula”, ressaltou Marisa. (LK)

Felpuda


Nos bastidores, conversas, ou melhor, quase sussurros, dão conta de que compromisso assumido teria prazo de validade se acontecer a vitória de aliado.

A partir de então, o papo passaria a ser bem, mas bem diferente mesmo, pois, com acordo cumprido, novos objetivos passariam a ser fonte dos desejos, e sem nenhuma moeda de troca.

No caso, não haveria mais sequer um fio de bigode. Tipo, cada um na sua.