Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIDADES

Solenidade marca despedida de militares para missão no Haiti

Solenidade marca despedida de militares para missão no Haiti
31/07/2010 16:47 -


DANIELLA ARRUDA

Solenidade com a presença de diversas autoridades civis e militares na Praça do Rádio Clube marcou ontem a despedida oficial do contingente de 480 militares de Mato Grosso do Sul que integrarão o batalhão de força de paz brasileiro no Haiti. Ao todo, 810 homens e mulheres, entre militares do Estado e de Mato Grosso (subordinados ao Comando Militar do Oeste), Goiás e Distrito Federal (do Comando Militar do Planalto) participarão da missão, embarcando a partir do dia 15 rumo a um dos países mais pobres da América Central.
Este é o segundo contingente de militares sul-mato-grossenses a integrar a missão de paz no Haiti. Desde 2004, quando o Exército brasileiro passou a atuar naquele país, 13 contingentes foram enviados ao território haitiano. O novo efetivo atuará no país até fevereiro do ano que vem.
“A finalidade é cooperar com a paz mundial e ajudar aquele país que atravessa uma fase difícil, agravada pelo terremoto de janeiro deste ano. São muito mais medidas de auxílio do que medidas militares. As tropas estão auxiliando na reconstrução de estradas e na recuperação da infraestrutura das cidades”, explicou o comandante militar do Oeste, general-de-exército Renato Joaquim Ferrarese.
A solenidade de ontem, que incluiu formatura militar, entrega do estandarte das Nações Unidas e da identificação dos militares do batalhão, além de bênção do arcebispo metropolitano de Campo Grande, Dom Vitório Pavanello, também encerrou a última etapa de preparação do batalhão de força de paz brasileiro no Haiti em Campo Grande. Entre os dias 12 e 30 de julho, o efetivo participou de uma série de atividades externas, entre elas simulações de patrulhamento em diversos bairros e controle de trânsito em vias públicas, incluindo comunicação no idioma utilizado no Haiti (creole). O treinamento dos militares teve duração de quatro meses.

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...