Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

IVINHEMA

Suplentes de vereador trocam PSDB pelo PSD

Suplentes de vereador trocam PSDB pelo PSD
25/01/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


O presidente municipal do PSD, de Ivinhema, Renato Amaro Lima, anunciou a filiação de três suplentes de vereadores ao partido. Beto Staut, Geferson Deoadato e Jair do Tregnã, todos faziam parte do PSDB. A saída dos suplentes esvazia o partido tucano e agrega um bom percentual de votos da cidade ao partido. Eles foram recebidos na sede do diretório regional pelo presidente e ex-senador, Antonio João Hugo Rodrigues, juntamente ao vereador Caio Augusto (PSD), de Ponta Porã.

“Reforços sempre são bem vindos”. Antonio João, presidente regional do PSD

“Ficamos satisfeitos com a vinda de novos correligionários e acredito que é possível fazer política abrindo espaço a novas lideranças e aproveitando a experiência de quem já trabalha com política na cidade”, pontuou o presidente regional. Para Antonio João os nomes somam para o fortalecimento do partido já neste ano. “Reforços sempre são bem vindos”.

Renato Lima pontuou que a vinda de Staut, Geferson e Jair é uma prova de que o PSD é um partido visto com bons olhos e viável. “Estamos fortalecendo nosso PSD no interior, temos as eleições este ano, vamos somar votos para nossos deputados estaduais e federais, somar com quem já tem uma boa margem de votação, que vão contribuir e ter espaço no partido”, garantiu.

Insatisfação
Os três suplentes de vereador deixaram o partido tucano em razão da insatisfação com a falta de espaço partidário e de reconhecimento do histórico político deles.

Felpuda


Com trabalho suspenso, por causa da Covid-19, investigação parou sem ter começado e, agora, dois dos cabeças do grupo de trabalho estão “chovendo no molhado”. Assim, para continuar, digamos, em evidência, vêm divulgando sobre a “firmeza” de ambos em “dar continuidade”, tão logo acabe a pandemia que, assim como os resultados dos trabalhos, são incógnitas que só. Portanto, melhor seria aguardar o desenrolar dos acontecimentos para sair “cantando de galo”.