Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIDADES

Tempo deve continuar seco nesta semana

Tempo deve continuar seco nesta semana
28/06/2010 06:14 -


Silvia Tada

Não há previsão de chuva para os próximos dias, em Campo Grande e o tempo deve permanecer claro, com altas temperaturas e baixa umidade relativa do ar. Ontem, a Base Aérea da Capital registrou apenas 28% de umidade os termômetros marcaram 28ºC, com ventos de 26 quilômetros por hora. Registros feitos pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) indicam que a umidade relativa do ar foi de 26% e a temperatura chegou a 30,9ºC.

Já são 22 dias sem chuva no centro de Mato Grosso do Sul, enquanto a região norte do Estado sofre há 26 dias sem precipitações. O tempo hoje fica claro, com névoa seca e, mais uma vez, a população deve enfrentar temperatura que pode chegar a 33ºC no Estado, conforme previsão do Inmet. Até quarta-feira, a previsão se repete e não há nenhuma frente fria que deve ultrapassar a massa de ar que está sobre o Estado.

Já o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) indica que o tempo continua firme, sem chuva, mas a umidade relativa do ar sobe um pouco e fica, até o dia 4 de julho, com mínima de 40%. O índice considerado normal é de 60%.

Queimadas
O Inpe também registra, em junho, 33% a mais no número de focos de incêndio que no mesmo período do ano passado. Em 2009 eram 99 focos de 1º a 26 de junho e, neste ano, a quantidade subiu para 132. No entanto, levando-se em conta o acumulado do ano, o volume de queimadas é 55% menor — 500 em 2010 contra 1.128 em 2009.

Ontem, no início da tarde, em Campo Grande, incêndio foi registrado em uma madeireira na Rua Trindade, Vila Ipiranga. O controle do foco mobilizou duas viaturas do Corpo de Bombeiros. Ninguém ficou ferido.
Desde meados da semana, o Lixão, localizado na saída para Sidrolândia, na Capital, registra foco de incêndio. Ainda ontem, a fumaça era vista nos arredores.

Felpuda


Comentários maldosos nos meios políticos dão conta que duas figurinhas que se rebelaram contra os próprios colegas poderão ficar no sereno político e, de forma indireta, serem personagens das próprias manifestações.

Um deles defendeu a redução do número de vereadores, e o outro disse ter vergonha de exercer o cargo. Agora enfrentam altos e baixos na campanha eleitoral.