Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

GOIÁS

Torcedor é espancado por policiais no banheiro de estádio

Torcedor é espancado por policiais no banheiro de estádio
03/02/2014 17:15 - G1


Um vídeo divulgado em redes sociais mostra quatro policiais militares agredindo um torcedor do Vila Nova Futebol Clube, após o jogo contra o Atlético-GO pelo Campeonato Goiano, dentro de um dos banheiros do Estádio Serra Dourada, em Goiânia, no domingo (2). Nas imagens, é possível ver a vítima sendo espancada por cassetetes, sem reagir (veja vídeo ao lado). A Polícia Militar investiga quem são os policiais envolvidos no episódio e o caso foi enviado à Corregedoria da PM.

“Assim que tomamos conhecimento [do caso], determinamos que fosse procedida a identificação. Não é aquilo que é orientado aos nossos policiais e nós estamos indignados com essa postura. Eles serão apenados e de forma severa”, afirma o porta-voz da Polícia Militar, coronel Divino Alves.

Ainda de acordo com a PM, a agressão aconteceu após o jogo, em uma briga generalizada entre as torcidas organizadas “Esquadrão Vilanovense” e “Sangue Colorado”, ambas do Vila Nova. “Embora isso não justifique em hipótese alguma os atos errados praticados por esses policiais, o que apuramos foi que teve essa briga, os PMs foram chamados e teriam sido agredidos”, afirma Alves. Na partida, o Vila Nova venceu o Atlético/GO por 1 a 0.

Por causa do colete utilizado pelos policiais, internautas levantaram a hipótese nas redes sociais de que os PMs fossem integrantes do Serviço de Interesse Militar Temporário (Simve), composto por reservistas do Exército. Porém, a PM afirma que atualmente não há distinção entre os policiais do Simve e os demais, de forma que ainda não é possível afirmar se os agressores são de fato reservistas.

A Polícia Militar apurou também se o torcedor agredido chegou a ser encaminhado à delegacia, porém, afirma que não encontrou registros da vítima.

Felpuda


Comentários ouvidos pela “rádio peão”, em ondas curtas, são de que figurinha só ganharia apoio dos colegas caso pessoa agregada fosse “curtir a aposentadoria” de uma vez por todas. Como seu acordo político acabou naufragando nesta campanha, agora dito-cujo estaria querendo recuar e não ceder o lugar. 

Isso até poderia acontecer, se não fosse a sua, digamos, eminência parda. Afe!