Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESPORTES

Uruguaios prontos para festejar o retorno a uma decisão

Uruguaios prontos para festejar o retorno a uma decisão
06/07/2010 07:18 -


Montevidéu, Uruguai

A população do Uruguai preparou-se para acompanhar o embate de hoje contra a Holanda nas semifinais da Copa do Mundo, com a esperança de prolongar o sonho de todo um país.
O Governo uruguaio instalará um telão no Auditório del Sodre, um dos espaços culturais mais importantes do país, com capacidade para quase duas mil pessoas, informou ontem o ministro do Interior, Eduardo Bonomi.
O presidente do Uruguai, José Mujica, estará no auditório para acompanhar a partida contra a Holanda ao lado de outras autoridades, atletas e artistas, além de crianças que integram projetos sociais e jovens das divisões de base do futebol uruguaio.
O otimismo em relação à possível classificação da Celeste para a final da Copa movimenta a economia do Uruguai. A companhia aérea Pluna anunciou que, caso a seleção uruguaia chegue à final, fretará um voo com capacidade para 210 passageiros cujas passagens custarão US$ 3,6 mil (R$ 6,3 mil) cada uma.
As empresas fabricantes de bandeiras tiveram que multiplicar sua produção diante do forte crescimento da demanda nas últimas semanas.
A emblemática praça Independência, no centro de Montevidéu, deve voltar a ganhar hoje as cores da Celeste, como aconteceu na sexta-feira, quando milhares de pessoas acompanharam o jogo das quartas de final contra Gana em um telão.
Com menos intensidade, mas talvez com mais glamour, os hóspedes de um hotel-cassino no balneário de Punta del Este, a 140 quilômetros de Montevidéu, ganharão uma rodada de champanhe a cada gol uruguaio e brindes caso o Uruguai vença.
Diante dos insistentes pedidos de feriado para o jogo de hoje, o presidente Mujica declarou ontem que “o Governo não tem o que fazer sobre isso”. “Cada um vai fazer o que quiser. O mais sábio é calar a boca”, disse o presidente.

Felpuda


Lideranças de alguns partidos estão fazendo esforço da-que-les para fechar chapa com o número exigido por lei de 30% do total de vagas para as mulheres. Uma dessas legendas, por exemplo, tenta mostrar a “felicidade” das suas pré-candidatas, mas teme o fracasso, tendo em vista que o “chefe maior” é aquele que já mandou mulheres calarem a boca e disse também que a importância da sua então esposa na campanha eleitoral era porque apenas “dormia com ele”. Ô louco!