Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Usuário de drogas mata a mãe a golpes de machado

Usuário de drogas mata a mãe a golpes de machado
29/01/2010 07:42 - NADYENKA CASTRO


Usuário de drogas e autor de agressões e ameaças, entre elas a familiares, Valdemar Scardin Carvalho, 28 anos, matou a mãe, Mathir Scardin, 51 anos, a machadadas. O crime aconteceu por volta das 11h30min de ontem, em Jardim. Ele havia prometido matar a mãe. Valdemar, que é conhecido como “Boda”, foi preso logo após o homicídio. O criminoso chegou à residência da mãe e desferiu um golpe na nuca dela. Com a vítima no chão, deu mais uma machadada na cabeça, deixando o objeto cravado. Uma testemunha jogou uma cadeira sobre Valdemar, mas ele conseguiu escapar, sendo preso a algumas quadras. Consta no boletim de ocorrência que antes do crime, ele pediu dinheiro para a mãe e ela negou. Em junho de 2009, ele fez a Mathir a ameaça que cumpriu ontem. Com uma foice apontada para a mãe, disse que iria matá-la quando saísse da prisão, caso ela o denunciasse. Ela contou o caso à polícia e o filho foi preso. De volta às ruas, ele a matou ontem. Valdemar foi preso pela primeira vez por ter agredido a mãe em fevereiro de 2007. No mesmo dia, ele feriu a cabeça da irmã com um pedaço de madeira. Sete meses depois já estava em liberdade e envolveu- se em briga na rua. Em janeiro do ano seguinte, esfaqueou a mão direita e o tórax de uma mulher. Após seis meses, tentou matar um homem também a facadas. Coxim Por outro lado, por volta das 4 horas de ontem, o soldado da Polícia Militar, Isac Batista do Nascimento, 23 anos, lotado em Coxim, agrediu a mãe, de 57 anos, disparou tiros e desacatou colegas. No quintal da residência da mãe, ele a agrediu, disparava tiros para o alto e ameaçava matar-se. A vítima conseguiu acionar a PM, que depois de muita negociação conseguiu desarmar o soldado. Ele foi encaminhado para o Presídio Militar, em Campo Grande.

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!