Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Vendas do BMW C 600 Sport iniciam em abril por R$ 52 mil

Vendas do BMW C 600 Sport iniciam em abril por R$ 52 mil
17/03/2014 02:00 -


Depois da apresentação no Salão Duas Rodas de 2013, a BMW Motorrad promoveu o lançamento do maxi scooter C 600 Sport, no bar temático de motos Johnnie Wash, em São Paulo (SP), em clima de descontração, com a presença do diretor da marca alemã Federico Alvarez e a participação da imprensa especializada.

As vendas do maxi scooter C 600 Sport começam em abril na rede de concessionários da marca alemã com preço sugerido de R$ 52 mil em versões nas cores azul, branco e preto. A expectativa é que o novo produto da BMW no mercado nacional atinja um público específico de alto padrão e que sejam vendidas cerca de 100 unidades do modelo até o final de 2014.

O maxi scooter C 600 Sport passa a ser oferecido em versões bastante completas, incluindo freios ABS e manoplas dos punhos aquecidas, por exemplo. A BMW também vai oferecer uma linha de acessórios para o modelo, que vai enfrentar como concorrentes Premium a Yamaha Tmax 530 e a Suzuki Burgman 650.

O scooter Premium da BMW vem equipado com motor dois cilindros e 647 cm³, que pode desenvolver uma potência de 60 cavalos a 7.500 rpm e um torque de 6,73 kgfm a 6.000 rpm. A transmissão é do tipo automática CVT (sem relações de marcha), sistema tradicional entre os scooters. O tanque de combustível tem capacidade para 16 litros, o peso seco é de 237 kg e a velocidade máxima indicada é de 175 km/h.

O diretor da BMW, Federico Alvarez, ainda destacou os planos da BMW para 2014 com o lançamento de seis novos modelos, evidentemente sem especificar quais seriam essas novidades. A partir daí podemos esperar pelas máquinas S 1000 R, as novas gerações R 1200, a reforçada série F 700 e a estilosa custom nineT, comemorativa de 90 da produção de motos da marca alemã.

Felpuda


Dia desses, há quem tenha se lembrado de opositor ferrenho – em público –, contra governante da época, mas que não deixava de frequentar a fazenda de “sua vítima” sempre que possível e longe dos olhos populares. Por lá, dizem, riam que só do fictício enfrentamento de ambos, que atraía atenção e votos. E quem se lembrou da antiga história garantiu que hoje ela vem se repetindo, tendo duas figurinhas carimbadas nos papéis principais. Ô louco!