Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

RIO DE JANEIRO

Vítima admite que se enganou ao acusar ator da Globo de roubo

Vítima admite que se enganou ao acusar ator da Globo de roubo
25/02/2014 15:45 - FAMOSIDADES


Dalva da Costa Santos, a mulher que acusou o ator Vinícius Romão de Souza de roubo, admitiu ter se enganado no reconhecimento do verdadeiro culpado pelo crime, durante depoimento na 25ª DP (Engenho Novo), no Rio de Janeiro, nesta terça-feira (25).

O delegado Niandro Lima, responsável pelo caso, por sua vez, garantiu que informará o ocorrido ao Tribunal de Justiça para que a liberação do artista ocorra o mais rápido possível.

"Isso pode ajudar a defesa dele a soltá-lo mais rapidamente. Além disso, entrarei com um pedido de habeas corpus em favor do Vinícius, com a cópia do depoimento anexada, pedindo que ele seja solto", afirmou ao jornal "Extra".

A vítima admitiu que, assim que chegou em casa após registrar o roubo - em 10 de fevereiro -, ficou em dúvida e que, no dia seguinte, pensou até em ir à delegacia para retirar a queixa. Entretanto, desistiu alegando não ter o dinheiro da passagem.

O pai de Vinícius, o tenente-coronel da reserva do Exército Jair Romão de Souza, comemorou a notícia, apesar de saber desde o início que o filho era inocente.

"Estou felicíssimo! Você nem pode imaginar o quanto. Quero correr para dar um longo abraço nele. Foi um sofrimento muito grande tudo isso, principalmente para ele. Está na capa de todos os jornais essa história, mas não me senti constrangido porque sabia que, mais cedo ou mais tarde, a verdade iria acontecer", disse.

Felpuda


Com trabalho suspenso, por causa da Covid-19, investigação parou sem ter começado e, agora, dois dos cabeças do grupo de trabalho estão “chovendo no molhado”. Assim, para continuar, digamos, em evidência, vêm divulgando sobre a “firmeza” de ambos em “dar continuidade”, tão logo acabe a pandemia que, assim como os resultados dos trabalhos, são incógnitas que só. Portanto, melhor seria aguardar o desenrolar dos acontecimentos para sair “cantando de galo”.