Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESPORTES

Vitória quebra tabu e bate o São Paulo depois de 9 anos

Vitória quebra tabu e bate o São Paulo depois de 9 anos
18/07/2010 21:42 -


SALVADOR

O Vitória deu fim a um longo jejum contra o adversário. Ontem, o finalista da Copa do Brasil venceu o São Paulo por 3 a 2, no estádio Barradão, e encerrou um período sem triunfos diante do rival que durava desde o Brasileiro de 2001.
Ao Tricolor, que segue de olho no confronto contra o Internacional pela Libertadores, resta controlar a pressão dos próximos dias por conta de mais um tropeço. Desde a retomada do Brasileiro, o São Paulo só acumula derrotas (duas seguidas).
Na classificação, o Vitória chega a 12 pontos e alcança a parte de cima da tabela. O São Paulo permanece com 11 pontos na modesta décima colocação – ainda pode cair mais depois dos jogos deste domingo.

Jogo
O Vitória abriu o placar aos 13 minutos. Egídio cruzou e Elkeson cabeceou sem chances para Rogério Ceni.
No fim do primeiro tempo, o Tricolor aproveitou a queda de rendimento do Vitória e alcançou o empate. Jean chutou rasteiro, colocado, longe do alcance de Viáfara.
Na etapa complementar, o São Paulo voltou a falhar. Em outro cruzamento de Egídio, Schwenck cabeceou no canto esquerdo da meta são-paulina e fez 2 a 1.
Abatido, o São Paulo ficou totalmente desorganizado em campo. Na base do toque de bola, o Vitória chegou ao terceiro. Ramon recebeu livre na área e tocou na saída de Rogério Ceni: 3 a 1.
Quando a fatura parecia definida, o São Paulo voltou para o jogo ao concluir uma jogada de bola parada. Aos 16 minutos, Fernandão aproveitou cobrança de escanteio de Hernanes e cabeceou firme, sem chances para Viáfara.

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...