Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESPORTES

Webber vence na Hungria e lidera o Mundial de Pilotos

Webber vence na Hungria e lidera o Mundial de Pilotos
02/08/2010 12:15 -


Budapeste, Hungria

O australiano Mark Webber venceu o Grande Prêmio da Hungria, disputado na manhã de ontem. O piloto da Red Bull adotou uma estratégia diferente de seus principais rivais em um momento crucial da corrida e alcançou o resultado que o levou à liderança do Mundial.
Diferente dos concorrentes, Webber não aproveitou a entrada do safety car (carro de segurança) na 15ª volta para visitar os boxes. Ele abriu uma vantagem segura, se manteve na pista com o primeiro jogo de pneus até o 44º giro e voltou para seguir na ponta até a linha de chegada.
Assim, o australiano assume a liderança do Mundial com 161 pontos. O inglês Lewis Hamilton, da McLaren, segue no segundo posto com os mesmos 157 pontos, já que teve problemas técnicos e deixou a prova. O alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, terceiro ontem, ocupa a mesma posição do campeonato com 151 pontos.
Prestes a completar 34 anos, Webber está na Fórmula 1 desde 2002. Ele acumula um total de 153 corridas, 16 pódios e seis vitórias, quatro nesta temporada (é o piloto que mais venceu em 2010). O espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, foi o segundo colocado na Hungria e acompanhou a dupla da Red Bull no pódio.
Entre os demais brasileiros na prova, o ferrarista Felipe Massa não teve muito brilho na corrida e terminou na quarta colocação. Rubens Barrichello, da Williams, chegou a ser o quinto, mas terminou em 10º, após parar para trocar pneus. Pela segunda vez consecutiva, Bruno Senna, da Hispania, completou uma prova, e foi o 17º. Já Lucas di Grassi, da Virgin, terminou uma corrida depois de dois abandonos e ficou em 18º.

Felpuda


Sem conseguir controlar a verborragia, figurinha estreante no mundo político-partidário, e que se acha “o último biscoito do pacote”, acabou batendo de frente com titãs da política. Primeiro perdeu os anéis e, agora, os dedos correm sérios riscos. Anda “ameaçando” deixar o lugar onde se encontra, só que por lá vem ouvindo frases como “se é por falta de adeus...”, “os incomodados que se mudem” e “não fará nenhuma falta”.

Como se vê...