Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Abertas inscrições para o 10º Encontro Regional de Ensino de Astronomia

Abertas inscrições para o 10º Encontro Regional de Ensino de Astronomia
28/08/2010 18:00 -


     

Pela primeira vez no Centro-Oeste, acontece de 13 a 17 de outubro, em Campo Grande, o 10º Encontro Regional de Ensino de Astronomia (Erea), que será realizado com o apoio da Secretaria de Estado de Educação (SED). As inscrições já podem ser feitas no site www.erea.ufms.br .

Para se inscrever como ouvinte, basta preencher os dados no site, no link "cadastro" e "inscreva-se no X Erea", selecionar os mini-cursos, oficinas e palestras que pretende participar e entregar, no local e data do evento, 1 kg de alimento não perecível como taxa simbólica de inscrição.

O Erea é um evento realizado pela Olimpíada Brasileira de Astronomia com a finalidade de divulgação do ensino da astronomia nas escolas. O público alvo são os professores (de várias disciplinas) das escolas públicas, a quem será divulgada a astronomia, astronáutica, ciência e tecnologia, tendo como objetivo, maior interação dos alunos do ensino fundamental e ensino médio com essas matérias.

        

Durante o encontro, que acontece no Memorial da Cultura, em Campo Grande (MS), serão realizadas palestras, oficinas, exposições de astronomia e astronáutica, observações astronômicas, oficinas de montagens de foguetes. Serão também realizadas outras atividades voltadas à inovação no ensino de astronomia, astronáutica, ciência e tecnologia. "Cada escola participante receberá um galileoscópio, para as atividades com os alunos. O objetivo é instrumentalizar o professor para trabalhar com astronomia", afirma Rodolfo Langhi, um dos organizadores do evento e professor do curso de Física da UFMS.

A palestra inaugural acontece na noite do dia 13 de outubro, com Augusto Damineli, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosférias da Universidade de São Paulo (USP). Augusto vai falar sobre "A procura de vida no Universo". Logo após, serão realizadas observações astronômicas com telescópios.

No dia 14, quinta-feira, serão realizadas no período da manhã as seguintes oficinas e minicursos: Utilização do software Stellarium para o ensino da Astronomia, com Johnathan C. Miguel, da UFMS; Como escolher seu telescópio, com Leandro Neudi (UFMS); Astronomia indígena no céu de Mato Grosso do Sul, com Germano Bruno Afonso, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Construção de maquetes de espaçonaves em papel, com Taís de Almeida, da UFMS; Como ensinar fases da Lua, com Leandro Neudi, da UFMS.

Também no dia 14, ainda pela manhã, o professor Hamilton Perez Corrêa, da UFMS, fala sobre o "Balanço geral regional do Ano Internacional de Astronomia". O evento também terá espaço aberto para os professores que quiserem expor trabalhos por meio de pôsteres. Serão disponibilizadas esferas celestes (poliedros) com as 88 constelações e seus nomes durante a oficina de construção de maquetes.

Na mesma data, à tarde acontecem os minicursos e oficinas: Montando o Galileoscope, com João Batista Canalle, da Uerj e da Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA); Construção artesanal de lentes para telescópios, com Marcelo Bacha e Anderson Andriatto, do Observatório da Unesp; Espectroscopia fácil, com Paulo Ortega, da UFMS.

Ao fim da tarde e à noite, o público poderá participar das palestras: Formação teórica e prática de astrônomos amadores, com Tasso Napoleão, da Rede de Astronomia Observacional - REA Brasil; Astrobobagens, com Roberto Boczko, do IAG/USP; O Ensino de Ciências e de Astronomia, com Roberto Nardi, da Unesp/Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior); além de observações astronômicas e do nanocurso de astrofotografia digital simples.

Construção artesanal de lunetas, com Marcelo Bacha e Anderson Andriatto, do Observatório Unesp; Astrofotografia, com José Carlos Diniz, da REA Brasil e Como encontrar e identificar meteoritos são os minicursos e oficinas da sexta-feira (15) pela manhã, que termina com a palestra sobre Relâmpagos e atmosferas planetárias, com Moacir Lacerda, da UFMS.

À tarde, acontece a oficina Atividade prática sobre órbitas planetárias, com Mayara Almeida de Barros, da UFMS, e o minicurso Gravitação e buracos negros, com Jaime Rocha, da Uerj e OBA. Nesta mesma tarde será realizada a palestra "De um clube de Astronomia a um Observatório", com Rosa Scalvi, do Observatório Unesp.

Telescópio na Escola será o tema da palestra de André de Castro Milone, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). A noite termina com a "Star Party" e com o Encontro de Clubes de Astronomia.

No sábado (16) acontece o lançamento de foguete de combustível sólido, por Oswaldo Loureda, do ITA/CTA (Centro Técnico Aeroespacial), além da oficina Reconhecimento do céu no planetário para professores, com Paulo Silva (Uems) e o minicurso Introdução a tecnologias espaciais, com Oswaldo Loureda ITA/CTA).

Paulo Rosa, da UFMS, fala sobre Fusão nuclear: construindo estrelas no laboratório e, continuando a programação de cursos e oficinas do sábado, Thiago Vareiro, da UFMS ministra "Dimensões dos astros do Sistema Solar em escala" e Cláudio Teixeira, da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), realiza o minicurso "Identificando as constelações".

Marcos Calil, chefe da Escola Municipal de Astrofísica no Planetário Professor Aristóteles Orsini, ministra palestra sobre Sistema de Mundos dos antigos europeus e concede autógrafos. O evento finaliza com um jantar astronômico de confraternização.

Há possibilidade da vinda, ainda não confirmada, de Marcos Pontes, astronauta brasileiro que deve ministrar palestra na noite de sábado (16). Os organizadores do evento buscam patrocínio para viabilizar a participação do astronauta no encontro.

Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail astronomia.erea@gmail.com .

Felpuda


Nos bastidores, há quem garanta que a única salvação, de quem está com a corda no pescoço, é ele aceitar ser candidato a vice-prefeito em chapa de novato no partido. Vale dizer que isso nunca teria passado por sua cabeça, uma vez que foi eleito com, digamos, “caminhão de votos”. Se aceitar a imposição, pisaria na tábua de salvação; se recusar, poderá perder o mandato. Ah, o poder!