Colunistas

artigos

A+ A-

Apesar da polarização radical, brasileiros não abrem mão da democracia

Continue lendo...

Desde as eleições presidenciais de 2018, temos percebido a intensificação da polarização política no País, com eleitores cada vez mais divididos. As pessoas estão falando mais sobre ideologia partidária, o que, muitas vezes, resulta em discursos de intolerância e ódio. Apesar da radicalização, há um alento: os brasileiros são unânimes no apoio à democracia, que tem como algumas de suas principais vertentes a igualdade dos cidadãos perante a lei e o direito ao voto com eleições livres.

Esse cenário fica evidente ao analisarmos os resultados de pesquisas recentes. Em levantamento realizado pelo instituto Atlas Intel, divulgado no dia 6 de fevereiro, os brasileiros apontam a polarização como o maior fator de conflito social no País. As pessoas estão sentindo o impacto das brigas ideológicas no cotidiano de suas vidas, com reflexos nas relações de família, trabalho e amizades.

Segundo mostrou a pesquisa, a divisão social provocada pelas divergências de apoios políticos ficou à frente de questões como, por exemplo, classe social, raça e religião.

Outra pesquisa que nos ajuda a analisar esse cenário e traçar o perfil do eleitorado foi realizada no segundo semestre do ano passado pela APPC Consultoria e Pesquisa, sob minha curadoria. Na época, 47% dos entrevistados declararam ter interesse “alto” ou “muito alto” por política, enquanto aqueles que responderam ter interesse “muito baixo” ou “nenhum” somaram menos de 25% do total.

Além disso, 45% dos eleitores declararam que o interesse por política “aumentou” hoje, em comparação com os últimos 10 anos. E mais da metade (61%) disse que “sempre” ou “quase sempre” costuma conversar sobre política com amigos e familiares. A consulta foi feita no estado de São Paulo, mas é uma amostra importante do comportamento do eleitorado.

Se as pessoas falam mais sobre política e expõem livremente suas opiniões, ainda que muitas vezes radicalizadas, é porque vivem em um Estado democrático, que lhes garante exercer o livre direito de expressão. E elas sabem disso.

Se retornarmos à pesquisa Atlas Intel, divulgada no início de fevereiro, 62% dos entrevistados declararam ter opinião positiva sobre a democracia liberal, contra apenas 16% que avaliam o modelo como negativo. Ou seja, os brasileiros acreditam na importância da preservação dos princípios presentes na Constituição Federal.

Há mais dados que corroboram essa tese. Pesquisa Genial/Quaest divulgada no início de janeiro mostrou que, um ano após os atos de 8 de janeiro, 89% dos brasileiros se posicionaram contrários aos ataques às sedes dos Três Poderes, em Brasília. A estatística nos mostra que, independentemente de apoio ou posição política, o povo brasileiro reprova atos que possam colocar o estado democrático em risco.

Ou seja, não há espaço para golpes no Brasil. A sociedade tem, sim, defendido de forma ferrenha as lideranças políticas que as representam do ponto de vista ideológico, mas não abre mão da democracia.

CLÁUDIO HUMBERTO

"Isso foi um trabalho em equipe"

Deputado Gustavo Gayer (PL-GO) ironizando "o tamanho a besteira" de Lula no exterior

20/02/2024 07h20

Claudio Humberto Divulgação

Continue Lendo...

Repulsa mundial a Lula deve conter crise com Israel

Após a reprimenda humilhante de Israel ao governo Lula (PT), em pleno Museu do Holocausto, para comunicar que o petista é persona non grata naquele país, e a repulsa mundial às declarações irresponsáveis do presidente brasileiro, a crise não deve piorar, segundo expectativa dos diplomatas mais experientes do Itamaraty.

As relações bilaterais ficarão “congeladas” ou prejudicadas, ao menos enquanto Lula e Netanyahu ocuparem seus cargos, mas não devem evoluir para um rompimento.

Fora do script

As afirmações levianas de Lula foram feitas fora do discurso preparado pelo Itamaraty. Ele quis improvisar e acabou provocando um desastre.

Papo de mesa de bar

Fontes do Itamaraty acham que Lula reproduziu insultos a Israel que teria ouvido de radicais como Celso Amorim, notório bajulador do Hamas.

Presidente minúsculo

Passando pano em terroristas que matam judeus e até no regime da Rússia, que mata opositores, Lula faz história assim, com “h” minúsculo.

Um país envergonhado

Não se tem notícia de governante “persona non grata”, como Lula. É uma vergonha para o Brasil, para nossa diplomacia, para os brasileiros.

Teve mais: Lula passou pano para Putin e Maduro

Além de comparar a ação israelense na Faixa de Gaza ao holocausto de judeus na Alemanha nazista, o presidente Lula (PT) aproveitou para passar pano para os ditadores Vladimir Putin e Nicolás Maduro.

Após a morte do principal opositor do russo, Lula disse é preciso “fazer uma investigação” antes de qualquer acusação. O petista deu resposta semelhante à expulsão de funcionários da ONU pela Venezuela do seu companheiro Maduro: não tem “informações do que está acontecendo”.

Não sobrou ninguém

O ditador Maduro expulsou do país todo o Alto Comissariado da ONU para Direitos Humanos de Caracas, na Venezuela.

Coincidência

Principal opositor de Putin, Alexei Navalny morreu numa prisão na Sibéria Ocidental, após anos de batalha na Justiça por ser “extremista”.

Velho 'não sei'

"Não sei se ele estava doente, se tinha algum problema", disse Lula sobre o opositor morto de Vladimir Putin.

3º mundo caricaturado

Diplomata francês muito influente, Gérard Anaud contou ontem no “X”: “Passei dois anos no Conselho de Segurança (da UNU) com o Brasil. Perdi todas as minhas ilusões sobre a política externa deste país, um Terceiro Mundo tão caricaturado que defendia a Coreia do Norte.

Chanceler decorativo

Mais uma vez ficou claro o papel decorativo do ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, na crise com Israel. Após a rebordosa de Tel Aviv, Lula “se aconselhou” com quem o tem influenciado em atitudes que o colocam à margem do mundo: o assessor Celso Amorim.

Eu não disse?’

Yigal Palmor, ex-porta-voz da diplomacia israelense, autor da expressão “anão diplomático” para classificar o Brasil, não perdeu tempo e voltou à carga, no dia em que Lula era alvo de críticas em todo o mundo.

Congresso se omite

Tão vexatório quanto o desatino de Lula, na afronta a Israel, foi o silêncio dos presidentes da Câmara e do Senado, apesar dos graves danos causados ao País pelo comportamento irresponsável do presidente.

Números genocidas

A determinação do governo Lula de impedir a divulgação diária de óbitos por covid completa um ano na segunda-feira (26). Na atual gestão do PT ocorreram 275 mortes por semana, totalizando mais de 15 mil em 2023.

Um novo ‘troféu’

Marcos Pontes (PL-SP), da Comissão de Relações Exteriores do Senado, achou “descabida” a fala de Lula: “já ganhou o troféu de primeiro ex-Presidente preso, agora esse de “persona non grata”.

Insulto repugnante

Para o senador Marcos Rogério (PL-RO), Lula promoveu mais um vexame internacional: “comparar Israel ao nazismo é abjeto, repugnante e desumano. É um desrespeito à memória de milhões de judeus”.

Só vendo

O senador Carlos Viana (Pode-MG) apresentou requerimento, nesta segunda (19), à Comissão de Relações Exteriores para ouvir o chanceler Mauro Vieira tentar explicar a fala de Lula, que comparou judeus a Hitler.

Pensando bem...

...agora só falta tentar dar 48h de prazo para Israel se explicar ao STF.

PODER SEM PUDOR

Não é a mamãe

Carlos Lacerda fazia mais um discurso devastador na Câmara dos Deputados contra o “mar de lama” do governo Getúlio Vargas. A deputada Ivete Vargas, sobrinha do presidente, pedia em vão um aparte. Cansada da insistência e muito irritada, Ivete perdeu a paciência: “FDP!”, gritou ao microfone. Com sua estonteante rapidez de raciocínio e sempre disposto a ofender adversários, Lacerda respondeu na bucha: “Vossa Excelência é muito nova para ser minha mãe!”.

Giba Um

"Com todo respeito ao ex-presidente Bolsonaro e à sua patente",

nunca acreditei que as Forças Armadas fossem apoiar um golpe para manter um capitão no poder", de MARCOS PEREIRA (Republicanos) // em pré-campanha à presidência da Câmara.

20/02/2024 05h01

Giba Um Foto: Reprodução

Continue Lendo...

 Os números de infectados e mortos por covid-19 não são divulgados pelo Ministério da Saúde desde fevereiro de 2023, mas a doença continua fazendo vítimas, mesmo que 547 milhões de vacinas tenham sido aplicadas até dezembro de 2022. 

MAIS:  Agora, de janeiro de 2023 para cá, foram registradas 16.456 mortes, segundo o Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde. O Conselho também contabiliza mais de 2,1 milhões de casos confirmados desde 2023 no Brasil. Foram 15 mil mortes no ano passado.  
 

IN Moda masculina: polo sem botões
OUT Moda masculina: polo com botões
 

 

O grande vencedor


Faltando poucas semanas para o tão esperado Oscar, o filme Oppenheimer foi o grande vencedor do 77º Academy Film and Television Arts Awards, levando 7 prêmios dos 13 que concorria, entre eles os principais como ‘Melhor filme’, ‘Melhor ator’ e ‘Melhor diretor’. Mais conhecido como Bafta foi realizado no domingo (18), no Royal Festival Hall, no Southbank Centre de Londres. E mais uma vez o público ficou decepcionado, o longa Barbie que é a 14ª bilheteria mundial com US$ 1,445 bilhões foi indicado em 5 categorias (entre elas, Melhor ator e Melhor Atriz) e não levou nenhuma. Outra decepção foi a não premiação do ator Bradley Cooper que concorria a três prêmios pelo filme Maestro como melhor ator, melhor diretor e melhor roteiro original. Pelo tapete vermelho da premiação londrina passaram, da esquerda para à direita as vencedoras Emma Stone (melhor atriz pelo longa Pobres Coisas); Da'Vine Joy Randolph (melhor atriz coadjuvante pelo filme Os rejeitados); Mia McKenna-Bruce (Prêmio de estrela em ascensão); Emily Blunt, que concorria também como melhor atriz coadjuvante; Cate Blanchet (sempre uma das mais elegantes) e a cantora Dua Lipa. 

Até o Itamaraty condena Lula

A decisão de Israel de declarar o presidente Lula (PT) como “persona non grata” pegou de surpresa o governo brasileiro. O ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, diz que ele “é uma personalidade indesejável” e que o governo só recuará do rótulo “se o presidente brasileiro pedir desculpas e se retratar”. Lula havia comparado a guerra de Israel contra o grupo terrorista Hamas com o extermínio de judeus por Hitler na Alemanha nazista. No dia anterior, em discurso na União Africana, ele adotara um tom comedido. Já, na entrevista em Adis Abeba, resultou o que sempre acontece: quando Lula vê um microfone livre à sua espera, fala de improviso e dá uma “declaração desastrosa”, como homens do Itamaraty consideraram a comparação feita. Não haverá – pelo menos por enquanto – rompimento oficial nas relações entre Israel e Brasil, até por motivos comerciais.

Quer chocar

A equiparação que Lula fez entre a ação militar de Israel e o extermínio de judeus por Hitler na 2ª Guerra Mundial é mais um item de suas declarações controversas. A política internacional é o tema em que suas palavras têm chocado mais. Diplomatas de vários países acham que “sem influência global, Lula se limita a chocar”. Houve 17 afirmações assim no ano passado, sobre economia, mais cinco. Até aliados acham que frases similares podem sair por descuido ou estratégia. Fora do país, a segunda opção prevalece nos improvisos do petista. 

No ramo da moda

 Afilhada de Flora e Gilberto Gil, e considerada também filha ‘adotiva’ e irmã de coração por Preta Gil, Marina Morena posou para revista Ela, onde contou que começou sua carreira no expresso 2222, depois resolveu a seguir seu caminho e fundou a Agência Mam e  MAP Brasil, ambas voltadas para negócios, artistas e marcas. Fashionista desde pequena resolveu atuar no mundo da moda, criando a Shop & Share, plataforma de aluguel e compra compartilhada de roupas e acessórios, que começou de maneira informal, emprestando peças aos amigos. “Perdia muitas, porque algumas pessoas não devolviam, ou eu esquecia de cobrar. Tinha que organizar isso”. Ela diz que se arrepende de não ter entrado no ramo antes. Consumista assumida diz: “Hoje, antes de comprar uma peça, penso se vou conseguir alugá-la” Além das próprias roupas e acessórios, a plataforma também conta com peças de Fernanda Paes Leme, Juliette e Anitta. Mais: Marina confessou que não tem o sonho de ser mãe e que passou por um aborto há anos atrás. “Não me arrependo. Não estava preparada. Não é o indicado, mas você vê mulheres em clínicas clandestinas. Muitas morrem”.

Fora do campo

 Analistas com conhecimento dos escalões da diplomacia acham que ser considerado “persona non grata” em Israel, além do premiê do país, Benjamin Natanyahu, classificar a posição de Lula “vergonhosa”, provocará sequelas no curto prazo em diversos países, sejam em governos pró-Israel ou em comunidades de judeus. Mesmo com o repúdio dos diplomatas brasileiros, o desastre atingirá também o próprio Brasil. A repercussão na mídia internacional é assustadora: Lula é chamado até de “desequilibrado”. 

 

 

FLERTE - 1

Há um início de flerte entre a indústria de bens de capital e a construção pesada. Na esteira da nova política industrial e o novo PAC, Geraldo Alckmin, vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, tem alinhado com Aloizio Mercadante novas normas de apoio compartilhado com a iniciativa privada para aumentar o gás dos dois segmentos. Nada que lembre, contudo, um subsidio ou incentivo via Tesouro Nacional. Há uma mistura de títulos e mecanismos para o aumento da formação bruta de capital fixo no país.  


Flerte - 2 

Em 2024, os investimentos em infraestrutura alcançarão um recorde histórico, mas ainda com um carry over expressivo de concessões cavadas pelo governador paulista Tarcísio de Freitas. A comunicação deverá ser um fator importante para que a retomada das inversões em infraestrutura não esteja associada aos vícios e más práticas do passado. A ideia é quem 2025 seja melhor ainda, já que há um ano inteiro para trabalhar nas novas PPPs e concessões. Além da nova ordem mundial da “economia verde”. 

FRITURA NO AR 


O presidente da Previ, João Luiz Fukunaga, está sentindo o cheiro de fritura no ar. Acha que o governo não tem blindado seu nome o suficiente diante da ameaça de perda de cargo (pela segunda vez, a Justiça afasta Fukunaga por não atender requisitos da área). A preocupação é que o episódio Guido Mantega tenha deixado marcas. A área técnica da Previ, acionista da Vale, foi contra a indicação de Mantega para o comando da mineradora. Traduzindo: o ex-ministro começa a ser cotado para a presidência da Previ. 
Fome 

Nostalgia no ar  8 No domingo (18), Silvio Santos, 93 anos, depois de acompanhar na maioria dos canais abertos (inclusive nos noticiosos do SBT) trechos dos desfiles das escolas do Rio e de São Paulo (e blocos por todo país), resolveu exibir, aproveitando o desfile das campeãs, o desfile da Tradição de 2001. O enredo tinha o título de “Hoje é domingo, é alegria/ Vamos sorrir e cantar” e o homenageado era ele, com 70 anos de idade. A transmissão era da Globo com narração de Gloria Maria e Cleber Machado. Também Gugu Liberato aparecia. Silvio até sambou na grande sala de sua casa.  DÍVIDA DO "04"  8 Indiciado pela Polícia Civil do Distrito Federal por lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e uso de documento falso, Jair Renan Bolsonaro, o filho “04” do ex-presidente, foi intimado pela Justiça para pagar uma dívida de R$ 360 mil ao Santander. Se não pagar, terá suas contas bloqueadas. O valor se refere a sua antiga empresa RR Eventos e Mídia (na Receita, a companhia encerrou suas atividades de forma voluntária). Jair Renan alegava não reconhecer sua assinatura em documentos. Agora, a perícia indicou que, pelo menos em um dos documentos, a assinatura era autêntica. 


MISTURA FINA



 AGORA, Lula tenta contra a reputação e imagem do Brasil lá fora ao anunciar que irá aumentar o valor de doações à agência da ONU para “os refugiados palestinos”, cujos funcionários já foram flagrados atuando em conluio do Hamas. Até países críticos a Israel suspenderam o repasse à entidade, de sigla UNRWA e a ONU demitiu alguns acusados. Hoje, fazer doações a UNRWA e a ONGs na faixa de Gaza tem o significado, no mundo diplomático, de financiar atividades terroristas do Hamas.


O PT quer agora que Lula esteja nos palanques dos candidatos a prefeitos cujos partidos tenham declarado apoio à campanha do presidente à reeleição em 2026. Os aliados estão mais do que irritados, preferem separar os dois momentos eleitorais, não concordam com “palanque amarrado”. Nesse grupo, estão siglas como PSD, PDT e MDB. A nova ordem do PT foi incluída na Resolução do Diretório Nacional (Gleisi Hoffmann no comando) da sigla sobre as eleições municipais deste ano. Só faltou combinar com os chefes de legendas aliadas. 

NOS últimos tempos, quando surgem oportunidades, o ex-governador de São Paulo, João Doria, solta comentários avisando que não teria quaisquer problemas em manter contato com o presidente Lula, ao qual sempre se referia, há alguns anos, como “ladrão”. Na época, não atacava Jair Bolsonaro. O Chefe do Governo acompanha esses comentários de Doria e em conversas com mais chegados, avisa que quer distância dele – e quer que seus ministros façam a mesma coisa. 

OS recorrentes prejuízos e endividamento do Magazine Luiza, que exigiram uma capitalização de R$ 1,5 bilhão são motivos de aflição para a empresária Luiza Trajano neste momento. Primeiro, é o caso das “incorreções contábeis” de R$ 829,5 milhões ainda não muito bem explicadas, que pode acabar respingando em Frederico Trajano, seu filho e CEO da rede varejista. O segundo é que há um processo na CVM de consequências ainda insondáveis. 

 COMEÇA amanhã a segunda temporada do reality show “A família Stallone”, no Paramount+. No programa, o veterano ator, criador de Rocky e Rambo, aparece ao lado da mulher Jennifer e das filhas Sophia, Sistine e Scarlet, mostrando um outro lado seu, misturando “coração, energia e humor”. Ele chora, ri, dá conselhos e garante doses de sarcasmo. A primeira temporada foi bem, com esses ingredientes. 

Assine o Correio do Estado

 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).