Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ARTIGO

Benedito Rodrigues da Costa: "O agonizante Rio Taquari"

Benedito Rodrigues da Costa: "O agonizante Rio Taquari"
15/04/2019 02:00 -


É impressionante o descaso dos diversos governos federais em mais de cinquenta anos com o gravíssimo problema ambiental  em função dos transbordamentos das águas do Rio Taquari, causado pelo assoreamento incessante, tornando imensas áreas do Pantanal sul-mato-grossense sem nenhuma possibilidade de aproveitamento para as atividades econômicas próprias na região. Isso sem falar no empobrecimento de um considerável número de criadores de gado que foram obrigados a abandonar as suas atividades ou até mesmo suas propriedades.

Os Senadores, os Deputados Federais, como também, os Governadores, foram incansáveis e insistentes em suas reivindicações, junto a tantos ministérios responsáveis pelas áreas ambientais, de transportes, de agri-cultura e pecuária, sem contudo obter resultados positivos que poderia evitar tamanha tragédia de ordem econômica, ambiental, mas, principal-mente humanitária. No mandato que se findou, para não incorrermos em injustiças, mais uma vez, a classe política na área federal, se empenharam na busca de soluções para o grave problema.

Um novo governo se inicia, e a esperança renasce, parlamentares da nova geração já evidenciaram em seus discursos no Congresso Nacional,  que estarão em luta permanente em busca da solução para salvar tanto o Rio Taquari, quanto o Pantanal. São incontáveis os projetos que morrem  nos arquivos ministeriais, são perdas de recursos e de mão de obra especial-zadas, horas e horas trabalhadas incessantemente e que não se concreti-zam, frustrando os técnicos, os gestores, a classe produtora, e também, a população desanimada para com seus insolúveis problemas.

O problema é de uma gravidade tal que chega a preocupar até mesmo os turistas estrangeiros que visitam a região, e que se mostram incrédulos e preocupantes com o futuro desse ecossistema. Possivelmente, o tamanho de nossa bancada não deva impressionar o governo como um todo, mas, é importante levar em consideração de que se trata de uma importante par-te do território nacional, localizada na fronteira oeste de nosso país, e, fu-tura saída para a rota bioceânica, e que poderá atrair atenção de novos investidores, pela atração da maior área alagada do Planeta.

Neste momento, a união de forças da população, da sociedade organiza-da e da classe política, se faz importante para chamar atenção do governo que se inicia, para talvez´sensibilizar os ministérios competentes no senti-do de viabilizar todos os recursos necessários à conclusão do projeto tão necessário ao estado, mas também, ao país, e, se possível, recorrer até mesmo a financiamentos  internacionais.

Estamos iniciando uma nova éra na administração política do Brasil, e temos que acreditar que o Pantanal oferece um potencial para o retorno do investimento.

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!