Colunistas

Giba Um

"Se nós não enfrentamos a tentativa de golpe, o próximo que perder também vai achar que pode",

articular um golpe", de LUÍS ROBERTO BAROSSO // presidente do Supremo, defendendo rigor total da Justiça aos golpistas. 

Continue lendo...

Ranking anual de liberdade econômica aponta que o Brasil é o 124º país numa lista de 194 nações, segundo a ONG Heritage Foundation, sobre o ano de 2023. Muito distante de Singapura e países nórdicos, que lideram, o Brasil perde até para Guiana, Angola, Gabão, Tanzânia e outros.  

Mais:  o ranking leva em considerações Estado de Direito, tamanho do Estado, eficiência regulatória e abertura de mercado. Para a ONG, o Brasil é “majoritariamente não livre”, com péssima saúde fiscal e gastos descontrolados do governo. 


Festa com show particular

A atriz, modelo, influenciadora e ativista social, Rafa Kalimann, que começou a modelar aos 13 anos, sempre sonhou em ser atriz, tanto que aos 14 anos se mudou para São Paulo para fazer um curso de teatro, mas por causa de apertos financeiros não conseguiu, na época finalizar o sonho. Uma das pioneiras no ramo do marketing de influência, Rafa ganhou maior notoriedade ao participar do BBB20, onde se sagrou vice-campeã. Depois de conhecida teve que enfrentar as críticas porque queria  atuar. Mas os mesmos que falaram mal dela, tiveram que se render ao seu talento agora exposto com a vilã Jéssica em Família é tudo. E nesse clima cercada de amigos do novo trabalho e de trabalhos antigos Rafa comemorou seus 31 anos em uma grande festa com direito a show particular de Nando Reis (primeira foto com a aniversariante). Entre tantos presentes estavam além do  namorado o ator Allan Souza Lima, as colegas de elenco Alexandra Richter, Lucy Alves, Ana Hikari, Juliana Paiva, Thayla, Renato Góes; Alice Wegmann e a jornalista Tati Machado.


Ninguém gosta de Costa


Na semana passada, Lula resolveu fazer um afago em Rui Costa depois que o nome do chefe da Casa Civil apareceu numa delação premiada firmada pela Polícia Federal que investiga fraude na compra de respiradores pulmonares, quando era governador da Bahia – e debaixo de seu aval. “Esse aqui é o chefe da Casa Civil, é como se fosse o primeiro-ministro, Rui Costa”. A Polícia Civil baiana havia se recusado a colocar o nome de Costa nos depoimentos, o que teria  evidenciado uma intervenção de aliados do atual ministro. Costa também já havia relatado a Lula que vive um momento de suposto fogo amigo do PT em São Paulo, atribuído a Fernando Haddad (Fazenda) com quem já bateu boca publicamente (eles não se suportam). Aos mais chegados (poucos), Rui também andou se queixando que, nesse episódio da delação premiada, nenhum deputado federal ou estadual saiu em sua defesa, só o aliado Alexandre Silveira. 


Peça-chave


Ainda Rui Costa: sua participação na famosa reunião ministerial também foi discutida por outros ministros, que acharam que ele falou muito e não apresentou nada sobre resultados do Novo PAC. Tanto que, na Casa Civil, Miriam Belchior, ex-ministra do Planejamento de Dilma Rousseff, hoje número 2, tem maior atuação e, como secretária-executiva, comanda diretamente o PAC, relançado por Lula no ano passado. É considerada – e respeitada – como “gerente” dos projetos prioritários do presidente. Miriam é a número 7 de filiação ao PT.  


Um lado desconhecido


Quem via Serena Willians, nas quadras de tênis (ela se aposentou em 2022), mostrando força, não imaginava que por trás das raquetes tinha uma grande empreendedora. Uma imagem que começou a mudar em 2018 quando lançou sua própria linha de roupas, S by Serena, e ampliando o leque em 2018 com uma coleção de joias batizada de SW. Agora amplia ainda mais seu lado empreendedor, depois de seis anos de planejamento acaba de entrar para o ramo da maquiagem: batizada de Wyn Beauty, toda inspirada no seu estilo de vida esportivo, ao todo são 10 produtos que vão desde batons, bases, corretivos e máscara de cílios, que variam de US$ 18 (R$ 90,55) até US$ 29 (cerca de R$ 145), mas que infelizmente ainda não está à venda no Brasil. 


In –  Blazer oversized
Out – Maxi blazer


De olho em 2026


Ciro Nogueira, presidente do Progressistas e ex-chefe da Casa Civil do governo Bolsonaro (o partido integra o governo Lula e ele se diz independente), tem primado em conceder entrevistas e povoar as redes sociais com notas ofensivas ao presidente Lula. Recorre até mesmo ao deboche, mesmo já tendo participado de um governo dele no passado. E claro, faz previsões otimistas ao ex-casal presidencial. Afirma que Jair Bolsonaro, se não estivesse inelegível, venceria em 2026 “qualquer um” no primeiro turno e que as pesquisas começaram a sinalizar vitória de Michelle para o Planalto. Detalhe: se um dos dois vence, ele quer voltar à Casa Civil.

 

Razão prosaica


Na esteira da eventual ida de Aloizio Mercadante para a presidência da Petrobras, já desponta um nome para substituí-lo no comando do BNDES: é o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Guilherme Mello. Seria para o governo Lula o que foi Gustavo Montezano na gestão Bolsonaro. Há, contudo, um pequeno senão, que poderia dificultar sua transferência para o BNDES, uma razão prosaica: Mello carrega o piano para Fernando Haddad (Fazenda). Com a saída de Gabriel Galípolo da Secretaria Executiva da Pasta para o Banco Central, acabou ganhando maior importância na estrutura no Ministério. 


Pérola

“Se nós não enfrentamos a tentativa de golpe, o próximo que perder também vai achar que pode articular um golpe”, 
de LUÍS ROBERTO BAROSSO // presidente do Supremo, defendendo rigor total da Justiça aos golpistas. 

INTERFERÊNCIA

O presidente da Comissão de Segurança da Câmara, deputado Alberto Fraga (PL-DF) reconhece a gravidade das denúncias contra o ministro Rui Costa (Casa Civil), investigado na compra de respiradores-fantasmas de R$ 48 milhões e vai pautar sua convocação para depor. A maioria dos oposicionistas deverá aprovar a proposta do deputado Sanderson (PL-RS) que cita notícias de que Costa manifestou “descontentamento” ao diretor da Polícia Federal quanto ao inquérito que apura o caso. Para ele, também delegado, a abordagem de Costa caracteriza “clara tentativa de interferência em investigações da PF”. 

Na parede - 1

A cada dia que passa, a Enel parece a peça mais vulnerável do tabuleiro. O grupo italiano se agarra a critérios de ordem regulatória e alega não haver fundamentos técnicos para a cassação de seu contrato em São Paulo. Além da CPFL (State Grid), também a Equatorial Energia é acompanhada de investidores pesados. Um deles é a CPPIB (Canada Pension Plan Investmen Board), potentado com mais de meio trilhão de dólares sob sua gestão. É um fio ligado ao Grupo Votorantim. É sócio dos Ermírio de Moraes na empresa de energia Aure. 

NA PAREDE - 2 

Ainda a energia elétrica: dinheiro não é o único e determinante favor para decidir o futuro da operação de contrato da Enel. Vale lembrar que, por muito menos, a empresa italiana de energia saiu praticamente escorraçada de Goiás, forçada pelo governador Ronaldo Caiado, a vender sua operação ao estado. O comprador foi a própria Equatorial Energia. A disputa envolve o segundo maior PIB do Brasil. A Enel São Paulo atende a capital e mais 23 municípios da Grande São Paulo. São mais de 18 milhões de pessoas, atrás apenas da estatal Cemig (cerca de 19 milhões). No caso da Equatorial, assumir a concessão que hoje pertence à Enel, significaria seu grande salto na área de distribuição. O grupo reuniria ativos, além de Goiás, no Maranhão, Pará, Piauí, Alagoas, Rio Grande do Sul e Amapá.

"Banco" BRB Fla

8 O acordo entre o BRB e o Flamengo, anunciado nesses dias, seria apenas o primeiro tempo da partida. O presidente do banco estatal de Brasília, Paulo Henrique Bezerra Costa, já manifestou a Rodolfo Landim o interesse de fechar o naming & Rigths do estádio que o clube carioca pretende construir. A longa e bem remunerada parceria entre o BRB e Flamengo está mais para projeto político de Costa. O contrato que acaba de ser divulgado chama a ascensão por termos pouco usuais, notadamente em relação ao “Banco” Nação BRB Fla, plataforma de venda de produtos financeiros voltada à torcida rubro-negra (acordo de 20 anos). 

NADA DE CRISE

8 A operadora de turismo CVC, de Guilherme Paulus tem passado imune à crise da Argentina. Nos três primeiros meses do ano, a subsidiária da CVC no país vizinho teve aumento de receita de 15% em relação ao primeiro trimestre de 2023. Há ainda carry over de vendas fechadas no período de festas, fim de ano e férias de janeiro. No quarto trimestre de 2023, a CVC já havia registrado alta de faturamento de 24% em relação a igual período no ano anterior. A Argentina responde por mais de metade da receita da CVC na América do Sul, excluindo-se o Brasil.

MISTURA FINA

ENQUANTO bolsonaristas acham que o recente discurso de Lula, em Arcoverde, recorrendo a uma pregação religiosa, não convenceu ninguém e que “é apenas ocasião”, muitos analistas de melhor memória lembram que o mote “Fé no Brasil” não é novo. Já embalou as campanhas presidenciais de Guilherme Afif em 1989 e Anthony Garotinho em 2002. Os dois candidatos apostaram na religiosidade dos eleitores. Um amargou o sexto lugar, com 4% dos votos; o outro terminou em terceiro lugar com 17%.

PT e PCdoB estão em guerra pelo Ministério da Ciência e Tecnologia. Os petistas querem a nomeação do atual presidente da Finep e ex-deputado federal Celso Pansera. O PCdoB quer fazer valer o “mando de campo”. E cobra do Ministro Alexandre Padilha (Articulação Política) a garantia de que o Ministério seguirá na sua cota. A atual ministra Luciana Santos deixará o cargo para disputar eleições à prefeitura de Olinda (PE).

DEPOIS da venda da participação da Cemig na Aliança Energia para a Vale, o governo de Romeu Zema quer sacramentar ainda neste semestre a saída da empresa de capital da Taesa. Tomando-se como base apenas o preço da ação, a fatia de 21% da Cemig, na empresa de transmissão que está avaliada em torno de R$ 2,6 bilhões. É  o que o mercado chama de “Operação Raspa Dividendo”. O governo mineiro está desmobilizando o que pode antes de uma federalização da companhia. 

O SECRETÁRIO de Relações Internacionais da prefeitura de São Paulo, ex-ministro Aldo Rebelo, acaba de trocar o PDT pelo MDB. Com a mudança de partido, ele se movimenta para ser candidato a vice-prefeito na chapa de Ricardo Nunes (MDB), que foi quem pediu a troca. Auxiliares acham que a escolha do MDB diminui as chances de Rebelo ser escolhido como vice e apontam que convencer partidos como o PL e o Republicanos que também buscam indicações para o posto. O problema maior, por enquanto, é Jair Bolsonaro, que apoiará Nunes na tentativa de reeleição e que ainda não está convencido da escolha de Rebelo. 

A APRESENTADORA Eliana, que acaba de se desligar do SBT, encerrando uma parceria de 15 anos, tem sido apontada como futura sucessora de Ana Maria Braga no Mais Você (ela ganha cerca de R$ 2 milhões por mês na emissora dos Marinho). A Globo também havia cogitado o nome de Eliana para assumir o lugar de Astrid Fontenelle no Saia Justa (GNT), num período de transição, aguardando projetos futuros. 
 

CLÁUDIO HUMBERTO

"Ainda bem que a Boeing teve um desastre"

Lula festejando a tragédia que matou 346 pessoas e fez a Boeing desistir da Embraer

22/05/2024 07h00

Continue Lendo...

Pesquisas sinalizaram a vaia dos prefeitos a Lula

O presidente Lula (PT) tem condicionado aparições públicas a eventos “controlados”, segundo o jargão de segurança de autoridades, onde não enfrente o risco de apupos. Mas a “25ª Marcha dos Prefeitos” ato em recinto fechado ao qual compareceu nesta terça em Brasília, mostrou que Lula já não está protegido de vaias e xingamentos nem mesmo nos  chamados “eventos controlados”. A situação pôde ser “lida” nas seguidas pesquisas nacionais, dos últimos meses, registrando crescente repulsa.

Até eles

As vaias causaram espanto porque prefeitos em geral vivem em Brasília de pires na mão, bajulando autoridades em busca de recursos.

Só gerou impostos

As pesquisas ainda não especificam as razões da reprovação de Lula, mas a taxação excessiva e a falta de entregas são fatores considerados. 

Plateias vazias

Eventos “flopados”, culminando com o 1º de Maio vazio de gente no Itaquerão, já indicavam que os brasileiros estão irritados com Lula.

Ladeira abaixo

Em geral portadora de boas notícias, o Quaest apontou um alerta definitivo: 55% dos brasileiros acham que Lula “não merece ser reeleito”.

Deputados inventam setores e mais cargos na CLDF

Deputados aproveitaram uma sexta-feira, dia de menor movimento na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), e publicaram no Diário Oficial da Casa a nova estrutura da Mesa Diretora, com novos departamentos e mais cargos de livre nomeação, claro. Além da já instituída vice-presidência, a edição do Diário Oficial de 10 de maio institui a inventiva “segunda vice-presidência” e a “quarta secretaria”.

Vice do vice

A segunda-vice-presidência substitui a vice-presidência em ausência. A primeira secretaria substitui a vice da vice e por aí vai...

Gente à beça

Para atender aos 24 deputados distritais, as excelências têm à disposição cerca de 2,4 mil funcionários. Comissionados beiram 1,6 mil.

Boquinhas

O exército de assessores não constrangeu a CLDF, que abriu vagas para os novos gabinetes. A maior parte destinada a cargos de livre nomeação.

Inacreditável

A palavra “inacreditável” bombou em Brasília, até entre jornalistas ativistas, após o ministro Dias Toffoli anular todos os atos da Lava Jato contra a Odebrechtt, empresa-símbolo da corrupção e cujos dirigentes confessaram haver subornado autoridades nos governos do PT.

Pasmo, espanto

Deputado federal cassado, condenado por corrupção no mensalão e no petrolão, ex-presidiário e agora descondenado, José Dirceu ganhou do STF o mesmo presente conferido a Lula: o retorno à cena política.

Made in RS

Em Brasília têm sido frequentes, nos supermercados, pessoas procurando identificar e priorizar produtos do Rio Grande do Sul, como arroz, para apoiar a recuperação da destroçada economia do Estado.

Socialista arrogante

Javier Milei não se dobrou ao premiê espanhol que chamou de volta sua embaixadora e exigiu desculpas após o argentino lembrar que a mulher de Pedro Sánchez foi acusada de corrupção e tráfico de influência no Tribunal de Madri. “Típico de um socialista arrogante", disparou Milei.

Inimigo imaginário

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, ora vejam, culpou a imprensa, sempre tão amiga, pelas manchetes sobre piora na expectativa do mercado financeiro. Os jornalões repercutiram dados do Boletim Focus.

Explica, ministro

O deputado Gustavo Gayer (PL-GO) quer explicação de Rui Costa (Casa Civil) sobre a decisão do governo Lula de importar arroz. Essa coisa meio suspeita fez o preço do arroz disparar mais de 30% no Mercosul.

Pode esquecer

A “cervejinha” prometida por Lula em campanha pode ficar mais pesada no bolso do brasileiro com a regulamentação da reforma tributária. Simulador do Banco Mundial prevê imposto de 46% para a bebida.

Separou em castas

Repercutiu entre deputados a decisão do Exército de restringir armas para policiais militares e bombeiros. Coronel Telhada (PP-SP) avalia que o governo Lula despreza os policiais e valoriza a bandidagem.

Pensando bem...

...os incêndios aumentaram 81%, com Ibama paralisado por cortes no orçamento, mas importante mesmo é perseguir “importunadores de baleia”.

PODER SEM PUDOR

Diga-me com quem não anda

Eleito senador, Tristão da Cunha (avô do ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves) foi procurado pelo baiano Luiz Viana Filho para apoiar um candidato dele a um cargo na Mesa Diretora. Tristão concordou imediatamente, prometendo votar no indicado. Luiz Viana Filho se animou: “Vou apresentar um ao outro, para que você o conheça melhor.” Tristão descartou: “Não precisa, eu já conheço os inimigos dele...”

GIBA UM

"O judiciário acaba mais exposto se tiver que regular essas relações de inteligência artificial...

...pela falta de uma legislação. Sem leis, o Judiciário constrói regras do país por causa dessa omissão", de RODRIGO PACHECO // presidente do Senado.

22/05/2024 05h01

Giba Um

Giba Um Foto: Reprodução

Continue Lendo...

A recente determinação do STF, obrigando a Bayer a depositar em juízo valores cobrados ilegalmente pelo uso de duas patentes da soja intacta, está longe de encerrar um dos maiores contenciosos do agronegócio. Ao contrário: a decisão abriu uma nova frente de batalha entre a companhia e produtores rurais, representados pela AProsoja-MT.

Mais: no setor, há relatos de que a Bayer estaria usando de ziguezagues jurídicos para driblar a sentença do Supremo e protelar a restituição dos pagamentos indevidos. Uma das estratégias criada pela companhia é a divisão das causas em ação simultâneas para dificultar a execução das cobranças. Outra é questionar os valores exigidos.

Contato com a natureza

A übermodelo Gisele Bündchen que conseguiu arrecadar pouco mais de R$ 4,5 milhões para as vítimas das enchentes do Rio Grande do Sul, seu Estado Natal ainda esconde alguns segredos que aos poucos vai revelando. Garota-propaganda mais uma vez da Colcci e agora o novo rosto da grife londrina Vaara, que tem  seu foco em roupas esportivas e confortáveis. Voltada para o bem-estar Gisele firmou uma parceria com a Gaia Herbs para ser sua primeira Embaixadora. “Aprendi sobre ervas com minha avó, que tomava chá para tudo. Ela não era fitoterapeuta, mas conhecia o poder das plantas e, quanto mais eu aprendia, era como se um mundo totalmente novo se abrisse para mim.” E completa: “Vivendo uma vida agitada, você deve priorizar o cuidado de si mesmo. Para construir uma base sólida é fundamental priorizar a saúde. O tempo é precioso e as práticas de bem-estar devem ser colocadas na sua agenda para que você possa estar presente para você, sua família, seu trabalho e tudo o que uma vida agitada traz. Gosto do ditado do avião que diz que primeiro você deve colocar oxigênio em si mesmo e depois ajudar os outros”. Para quem não sabe Gisele costuma praticar meditação as 5h00 e em todos os lugares busca um espaço de grama ou areia onde possa ficar de pé e se sentir conectada à terra. “Passe um minuto respirando fundo algumas vezes, isso mudaria o seu dia e mudaria a sua vida. Se continuarmos gastando nossa energia, não teremos mais”.

Tragédia do clima fora da inflação

O dinheiro da recuperação do Rio Grande do Sul nem chegou e já deixou de ser um problema fiscal, pelo menos de ordem contábil. Assim como os gastos extraordinários com a tragédia climática serão aparteados do cálculo da meta fiscal, outras flexibilizações similares povoam discussões no governo. Uma medida compreensível seria expurgar da inflação os efeitos da catástrofe. Trata-se de uma situação extraordinária e como tal deveria ser tratada, por conter um efeito cascata negativo sobre reajustes indexados à inflação. O IPCA deságua no salário-mínimo, na Previdência e nos contratos de aluguel, por exemplo. Há ainda a hipótese do Ministério da Fazenda aumentar os subsídios para além dos já definidos em relação à cesta básica. A queda da inflação no mês passado foi anterior à tragédia do Rio Grande do Sul. Haverá importação de alimentos não planejadas e redução de  itens produzidos pela indústria gaúcha. 


Não reconhecida

Ainda a conversa clima-inflação: há o fator percepção da população, que impacta na visão sobre alta dos preços. É como se os preços até caíssem em função das medidas emergenciais e os consumidores, influenciados pelo cenário, não reconhecessem a queda. Na recente amostragem da Quaest, 43% disseram que a taxa do desemprego subiu, o que não é verdade – subiu razoavelmente. Contudo, as pessoas acham que estão certas. Vai e vem volta-se à comunicação do governo. Se não for bem feita, a oposição incendiará as redes sociais. 

Nada é descartado

Após provarem que eram somente boatos para ganhar as páginas de revistas, as apresentadoras Angélica, Eliana e Xuxa  chamadas de rivais e  provarem que são amigas fora da tela, e agora com a confirmação da contratação de Eliana pela Globo começam a ser ventilado que as três estariam no comando do Saia Justa. Sobre a possibilidade de ter um programa juntas Angélica  se empolga: “Estamos muito abertas a isso, tanto que eu fiz a série com a Xuxa. Mas nunca teve um projeto, nunca teve nada. Pode ser que aconteça, pode ser que seja legal as três juntas, mas pode ser que separadas também seja muito bom, porque separar essa energia em lugares diferentes, passando uma mensagem parecida, mas em lugares diferentes. Eu não descarto jamais que a gente possa fazer um programa especial juntas ou um projeto”. No mês passado o grupo Globo confirmou que a jornalista Rita Batista, uma das apresentadoras do É de casa se juntaria a Bela Gil e Gabriela Prioli no programa da GNT,  só que  possibilidade de ter as loiras ainda não foi descartada. 

In – Programa TV por assinatura: Quilos mortais
Out – Programa TV por assinatura: Os muquiranas

Papagaio

Assessores do próprio governo petista têm conversado que o ministro-chefe da Casa Civil, Rui Costa, vem ganhando espaço com Lula, mesmo com a antipatia de outros colegas de ministério. O presidente agora sempre o leva em algum evento, foi com ele a São Leopoldo e Costa deverá coordenar as remessas de dinheiro para o Rio Grande do Sul. E mais: o ministro vem repetindo frases quase sempre usadas pelo chefe. É o máximo da sua demonstração de sua fidelidade – e já pensa nas de eleições de 2030.

Bons de foto

Além do próprio Lula, os presidentes da Câmara e do Senado, Arthur Lira e Rodrigo Pacheco, respectivamente, também devem capturar algum ganho político das medidas adotadas para a reconstrução do Rio Grande do Sul. O Congresso já autorizou exclusão de recursos enviado ao estado da meta fiscal e já aprovou redirecionamento de emendas parlamentares. Traduzindo: Lira e Pacheco, além do dever cívico e compreensão humanista, vão tirar uma casquinha desse momento nacional. Chama a atenção, inclusive, o número de vezes que já apareceram ao lado de Lula no anúncio de medidas emergenciais, embora não tenham participação na busca de soluções para a destruição do estado do sul do país. 

PÉROLA

“O judiciário acaba mais exposto se tiver que regular essas relações de inteligência artificial pela falta de uma legislação. Sem leis, o Judiciário constrói regras do país por causa dessa omissão”, 

de RODRIGO PACHECO // presidente do Senado.


DEPOIS DOS 20 – 1

A experiência de reconstrução de uma cidade espremida entre rios e lagos e devastada por uma tragédia climática mostra que o processo de reerguer Porto Alegre será longo e complicado. Há quase 20 anos, Nova Orleans, na Louisiana (EUA) foi inundada pelas chuvas do furacão Katrina e apesar de investimentos pesados, problemas urbanos decorrentes da tragédia persistem. A ONG The Date Center estima que US$ 120 bilhões (R$ 612,9 na cotação atual) foram aplicados para remendar danos estimados em US$ 135 bilhões (R$ 689,5 bi). Foi uma mistura de verba estatal, seguradoras, fundos de doação, linhas de empréstimos, economia pessoais e até repasses de governos estrangeiros. 

Depois dos 20 – 2

Ainda Nova Orleans: só o novo sistema de diques e muros de contenção para proteção custou US$ 14 bilhões (R$ 71,5 bi) de recursos federais (o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite acha que com R$ 19 bilhões resolve tudo). Mais: o plano de recuperação agravou problemas de desigualdade e impediram a recuperação da cidade. A maioria dos que não conseguiram voltar é formada pelos mais pobres, especialmente negros. Os urbanistas dizem que Nova Orleans “agora é uma cidade mais branca e mais rica e não porque as pessoas ficaram mais ricas, mas por causa da renda per capita dos que puderam voltar e dos novos moradores”. 

QUERIA AFASTAR

Apesar da visibilidade que ganhou, ao ser designado para chefiar como Autoridade de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, Lula queria mesmo afastar Paulo Pimenta da Secom, quase um replay da derrubada de Márcio França de Porto e Aeroportos para Pequena Empresa, sem orçamento nem relevância. Funciona quase como ouvidoria: só ouve e encaminha as demandas.  E só autorizou criação de uma estrutura de dez cargos. Quem vai mandar mesmo nos recursos (ainda não chegaram) é Rui Costa (Casa Civil). 

Tabaco ameaçado

A direção da BAT (British American Tabacco) do Brasil está preocupada com informações desencontradas sobre o impacto das enchentes nas plantações de tabaco no Rio Grande do Sul. O próximo ciclo de compra de insumos virou um voo às escuras. Primeiros levantamentos apontam que até um terço das lavouras do Vale do Rio Pardo, uma das principais fronteira do cultivo do fumo no estado, foram atingidas pelas inundações. O período de plantio é realizado nos meses de junho e julho. O Rio Grande do Sul responde por 40% da produção nacional do tabaco. 

“IMPOSTO DO PECADO”

Ainda o tabaco: qualquer redução na próxima colheita pode ter um considerável efeito sobre o custo da matéria-prima e do preço final do cigarro para o consumidor. Hoje, a discussão do BAT é outra: sobre o possível lobby pelo adiamento da entrada em vigor do “imposto do pecado”. O novo tributo com o aumento dos preços do fumo seria “punição demais” e a BAT quer um refresco. Pior é se uma parte expressiva da safra gaúcha já tiver virado cinzas. 

MISTURA FINA

NÃO chega a ser surpresa para ninguém: a Invepar empresa de investimentos em concessões, controladas pelos maiores fundos de pensão do país (Previ, Petros e Funcef) já acomoda muitos companheiros aninhados ao poder desde 2023. Luciana Okamoto, filha de Paulo Okamoto, presidente da Fundação Perseu Abramo, acaba de virar advogada da empresa. Ana Maria Énrica, ligada ao ex-tesoureiro do PT (condenado pela Lava Jato) João Vaccari Neto, foi alojada como gerente no compliance. Vaccari, à propósito, voltou a ter relações próximas com Lula. 

A BB Asset deverá aumentar sua aposta no setor de real estate. A gestora do Banco do Brasil estuda emissão de um segundo fundo “de tijolo”. Com base no primeiro, há duas semanas, há quem fale numa captação próxima de R$ 1,5 bilhão. O fundo BB Premium Mall (BBG11) levantou R$ 990 milhões, acima da oferta inicial de R$ 800 milhões. A  demanda pelos papéis bateu perto de R$ 1,2 bilhão. A Iguatemi, que prestou consultoria imobiliária para o BBG11, já está pronta para carregar os próximos tijolos com a BB Asset. 

NOS últimos tempos, nas mais conhecidas favelas que concentram os traficantes (e escondem bandidos) não são apenas sentinelas bem colocados nos morros que localizam ainda à distância a possibilidade de estar chegando quaisquer problemas. Agora, verdadeiro esquadrões de drones se espalham pelas comunidades procurando detectar previamente invasores, que podem ir da polícia até a blocos rivais bem armados. Pessoal ultra especializado é que comanda os aparelhos. 

A CLEARSALE, uma das maiores desenvolvedoras de software contra fraudes digitais e de score de crédito do Brasil virou um grande objeto de cobiça do setor. Além do Serasa Experidian, há outros dois interessados na aquisição do controle. O nome mais soprado é o do Boa Vista, que detém 15% do segmento de análise de crédito no país. Mesmo assim, o Serasa Experidian está na frente dessa corrida. Já concluiu um processo de due diligence na ClearSale. Controlada pelo sócio fundador Pedro Chiamulera, a empresa tem como acionista a Innova Capital, que reúne investidores como Jorge Paulo Lemann e Verônica Serra, filha do político José Serra. 

A DASA, da família Bueno, já teria saído em campo em busca de um comprador para sua operação de home care. Seria o primeiro movimento na estratégia de desmobilização de ativos menos rentáveis, que acabam por sobrecarregar o caixa da empresa. A Dasa encerrou 2023 com um prejuízo de R$ 1 bilhão. O aporte de R$ 1,5 bilhão feito no ano passado pelos Bueno e pela BTG não foi o suficiente para reduzir a alavancagem. Por isso, o clã deverá abastecer a companhia com nova injeção de capital – enquanto não consegue vender. 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).