Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

HISTÓRICO DE ABUSO

Major da PM matou ex-namorado em legítima defesa, diz delegada

Homem que morreu com um tiro na cabeça, tinha histórico de agressão e tentou matar policial
21/02/2020 11:00 - Eduardo Miranda, Ricardo Campos Jr


Ferido com um tiro na cabeça, o representante comercial Hilário Bueno de Carvalho, 52 anos, morreu na noite desta quinta-feira (20) na Santa Casa de Campo Grande. Ele foi baleado por sua ex-namorada, uma major da Polícia Militar cujo nome foi mantido em sigilo pela Polícia Civil, durante discussão do casal. A Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) trata o caso como violência doméstica.  

Para a delegada Fernanda Félix Carvalhok, titular da Deam, a major da PM agiu em legítima defesa. Depois do ocorrido, contou a delegada, a major ficou em estado de choque, saiu pelas ruas da Vila Carvalho, onde mora, e entregou a arma para um vizinho.  

“Ele (Hilário) não aceitava o fim do relacionamento”, afirmou a delegada, que tem em seu poder, mensagens ameaçadoras que ele havia enviado à policial militar. Havia histórico de abuso contra a policial. No ano passado, em setembro, a Justiça proibiu o namorado da major de aproximar-se dela. Hilário teria agredido a policial com socos e chutes na ocasião.  

Na noite de quinta-feira, Hilário teria entrado na casa da major com uma faca de 30 centímetros. Houve discussão e gritaria, segundo os vizinhos. O silêncio só veio depois do disparo. 

 

Felpuda


Pré-candidato a prefeito de Campo Grande divulgou vídeo em que político conhecido Brasil afora anuncia apoio às suas pretensões. O problema é que o tal líder já andou sendo denunciado por mal feitos em sua trajetória, sem contar que o pai do dito-cujo teve de renunciar ao cargo de ministro por ter ligações nebulosas com empresa de agrotóxico. Depois do advento da internet, essa coisa de o povo ter memória curta hoje não passa de coisa “da era pré-histórica”.