Clique aqui e veja as últimas notícias!

AUDACIOSOS

Contrabandistas furtavam cigarros apreendidos pela Polícia Federal

Foram bloqueados mais de R$ 2 milhões em bens móveis e imóveis do grupo, assim como valores depositados em contas bancárias em nome dos investigados
02/02/2021 09:16 - Gabrielle Tavares


A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (2) a Operação Audacius, com objetivo de desarticular organização criminosa que furtava cigarros contrabandeados apreendidos pela PF.

A organização alvo da operação contrabandeava cigarros paraguaios e armazenavam em residências no município de Dourados. Quando a carga se acumulava e não conseguiam mais guardar nas casas dos integrantes do grupo, encaminhavam os cigarros para outros estados, como São Paulo.

De acordo com a PF, após intensificações nas ações de fiscalização nas estradas de fronteira e que cortam Mato Grosso do Sul, a organização não conseguiu mais continuar atuando e teve grande prejuízo.

Dessa forma, o grupo resolveu, “de forma audaciosa, furtar as cargas da quadrilha que eram apreendidas”, informou a polícia. As investigações mostraram ainda que o grupo já havia tentando roubar carga de cigarros apreendida em outro estado.

Últimas notícias

Foi preciso 17 ordens judiciais para polícia sequestrar os bens do grupo. Foram bloqueados mais de R$ 2 milhões em bens móveis e imóveis do grupo, assim como valores depositados em contas bancárias em nome dos investigados.

Cerca de 23 agentes cumprem nesta manhã cinco mandados de prisão preventiva e seis mandados de busca e apreensão nos municípios de Dourados, Ponta Porã e Campo Grande. Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Federal da Cidade de Durados.

A PF iniciou as investigações em dezembro de 2019, depois que uma carga de cigarros apreendidas avaliada em cerca de R$ 2 milhões foi furtada. O produto de origem paraguaia estava dentro de um caminhão estacionado em frente à Delegacia de Polícia Federal de Dourados.

Os investigados responderão pelos crimes de contrabando, associação criminosa e furto qualificado. Se somadas, as penas cominadas podem chegar a mais de 15 anos de prisão. Os presos foram encaminhados a presídios de Mato Grosso do Sul, onde ficarão à disposição da Justiça Federal.

A PF informou ainda que todos os investigados têm passagem pela polícia e possuem histórico de práticas de crimes transfronteiriços envolvendo o contrabando de cigarros, alguns integrantes já foram presos em flagrante durante as investigações.

A polícia batizou a operação de Audacius fazendo referência à forma audaciosa que os investigados agiam. A palavra tem origem no latim e significa audácia.