Polícia
CONFUSÃO

Criança que deu entrada na Santa Casa por disparo no nariz pode ter sofrido, na verdade, uma queda

Polícia diz que os pais da criança foram encontrados e prestarão esclarecimentos ainda nesta terça-feira

Gabrielle Tavares, Glaucea Vaccari

22/09/2020 11:55

Criança, de 7 anos, levada pelo pai, 36, ao hospital na segunda-feira (21), com projétil alojado no rosto, pode não ter sido atingida por um disparo, de acordo com a Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA).

As primeiras informações do caso foram repassadas pela Polícia Militar (PM) à DPCA. Inicialmente, o parecer da polícia, e o que foi noticiado pelo Correio do Estado, era de que o tiro seria de arma de fogo.  

Mas segundo a assessoria do hospital, o disparo seria de um chumbinho, que ficou alojado próximo a região nasal.

Já nesta manhã (22) a delegada responsável pelo caso, Elaine Benicasa, explicou que, na verdade, pode não ter acontecido disparo nenhum.  

“A princípio, o pessoal do hospital disse que poderia ter sido chumbinho, mas está surgindo outra informação e nada disso pode ter acontecido. Pode ter sido uma queda e esse objeto alojado pode ser somente um ferro, mas não temos certeza de nada ainda”, apontou.

Os responsáveis pela criança a levaram até a Santa Casa e a mãe, de 34 anos, permaneceu com ela na consulta, mas o pai, não. Eles não se apresentaram à delegacia para esclarecimento dos fatos, mas não foram declarados como foragidos.

Segundo Benicasa, o pai e a mãe foram encontrados por policiais e vão prestar depoimento ainda hoje.

Foi registrado Boletim de Ocorrência na DPCA, mas ele pode ser alterado a depender do depoimento dos envolvidos.  

“Talvez altere esse enquadramento porque se foi uma queda, crianças caem. Ou se foi um disparo mesmo, pode ser um crime culposo, então a gente realmente precisa de mais informações. Essa criança precisa passar por um corpo de delito, para ver o que exatamente está alojado ali”, ressaltou a delegada.