Clique aqui e veja as últimas notícias!

CONFUSÃO

Criança que deu entrada na Santa Casa por disparo no nariz pode ter sofrido, na verdade, uma queda

Polícia diz que os pais da criança foram encontrados e prestarão esclarecimentos ainda nesta terça-feira
22/09/2020 11:55 - Gabrielle Tavares, Glaucea Vaccari


Criança, de 7 anos, levada pelo pai, 36, ao hospital na segunda-feira (21), com projétil alojado no rosto, pode não ter sido atingida por um disparo, de acordo com a Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA).

As primeiras informações do caso foram repassadas pela Polícia Militar (PM) à DPCA. Inicialmente, o parecer da polícia, e o que foi noticiado pelo Correio do Estado, era de que o tiro seria de arma de fogo.  

Mas segundo a assessoria do hospital, o disparo seria de um chumbinho, que ficou alojado próximo a região nasal.

Já nesta manhã (22) a delegada responsável pelo caso, Elaine Benicasa, explicou que, na verdade, pode não ter acontecido disparo nenhum.  

“A princípio, o pessoal do hospital disse que poderia ter sido chumbinho, mas está surgindo outra informação e nada disso pode ter acontecido. Pode ter sido uma queda e esse objeto alojado pode ser somente um ferro, mas não temos certeza de nada ainda”, apontou.

Os responsáveis pela criança a levaram até a Santa Casa e a mãe, de 34 anos, permaneceu com ela na consulta, mas o pai, não. Eles não se apresentaram à delegacia para esclarecimento dos fatos, mas não foram declarados como foragidos.

Segundo Benicasa, o pai e a mãe foram encontrados por policiais e vão prestar depoimento ainda hoje.

Foi registrado Boletim de Ocorrência na DPCA, mas ele pode ser alterado a depender do depoimento dos envolvidos.  

“Talvez altere esse enquadramento porque se foi uma queda, crianças caem. Ou se foi um disparo mesmo, pode ser um crime culposo, então a gente realmente precisa de mais informações. Essa criança precisa passar por um corpo de delito, para ver o que exatamente está alojado ali”, ressaltou a delegada.

 
 

Criança já está em casa

Paciente foi levada pelo pai à UPA do Jardim Noroeste e encaminhada à Santa Casa, onde deu entrada às 16h18 e ficou na área vermelha, devido a apresentar hemorragia.

Equipe bucomaxilofacial realizou sutura do ferimento e exames de imagem não evidenciaram fraturas ou demais problemas de gravidade.

Criança ficou em observação e recebeu alta nesta manhã, sem necessidade de procedimento cirúrgico e sem previsão de retirada do objeto.

Conforme a assessoria de imprensa da Santa Casa, ela recebeu medicamentos e foi encaminhada para casa, devendo retornar em 15 dias para nova avaliação.

Caso o artefato se mantenha em região que não comprometa o maxilar, a respiração e a abertura bucal, não será feita a remoção.