Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PERIGO

Estelionatários criam contas fake de médico para pedir dinheiro

Com número falso, WhatsApp de vítima chegou a ser clonado por bandidos
08/07/2020 16:15 - Daiany Albuquerque


 

Contas falsas na rede social Instagram, atribuídas ao médico infectologista Julio Croda, pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), foram criadas por estelionatários para pedir dinheiro a vítimas. O grupo usa um número de celular com DDD de São Paulo para aplicar o golpe.

De acordo com o médico, um amigo entrou em contato recentemente para contar que foi adicionado por uma dessas contas na rede social. Durante uma conversa com esse perfil, a pessoa que se identificava como sendo Croda chegou a pedir dinheiro para a vítima.

“Pediram dinheiro para ajudar contra o coronavírus e a pessoa quase enviou. Mas acabou duvidando e no fim teve o WhatsApp clonado, deu o maior problema para conseguir regularizar”, contou o infectologista.

Segundo ele, pelo menos outras duas contas que não são suas estavam ativas na rede social. Por conta da pandemia da Covid-19, o médico, que reside em Mato Grosso do Sul, ganhou notoriedade em todo o país devido as várias entrevistas para tratar sobre a doença em diversos meios de comunicação.

Em suas redes sociais, o infectologista disse que na última semana três contas falsas com a sua foto foram criadas. “Não me comunico pelo Instagram. Não respondam nenhuma pergunta e não entre em contato com número da mensagem da foto. Seu WhatsApp poderá ser clonado. Ative os dois fatores do WhatsApp para evitarem esse tipo de transtorno”.

Em uma das contas, o estelionatário chega a dizer que o número que está passando seria do “Ministério da Saúde” e que a pessoa pode mandar uma mensagem para o telefone pelo WhasApp para participar de uma pesquisa e que sua sugestão ia “aparecer no Data Follha”.

 
 

Felpuda


Lideranças de alguns partidos estão fazendo esforço da-que-les para fechar chapa com o número exigido por lei de 30% do total de vagas para as mulheres. Uma dessas legendas, por exemplo, tenta mostrar a “felicidade” das suas pré-candidatas, mas teme o fracasso, tendo em vista que o “chefe maior” é aquele que já mandou mulheres calarem a boca e disse também que a importância da sua então esposa na campanha eleitoral era porque apenas “dormia com ele”. Ô louco!