Clique aqui e veja as últimas notícias!

PAVO REAL

Família e 'braço direito' de narcotraficante Pavão são presos em ação da PF

Pelo menos R$ 302 milhões foram bloqueados em 96 contas bancárias dos investigados, além de R$ 50 milhões em imóveis e R$ 2,3 milhões em veículos
27/08/2020 16:10 - Nyelder Rodrigues


A operação Pavo Real, deflagrada nesta manhã de quinta-feira (27) pela Polícia Federal (PF) em Mato Grosso do Sul, Rondônia, São Paulo, Distrito Federal e Santa Catarina, resultou na prisão de familiares do narcotraficante Jarvis Pavão e de um de seus principais braços direitos, que mora em Campo Grande, na Vila Rica - região norte da cidade.

Gandhi Jacob é um dos homens de confiança da família Pavão, sendo responsável por organizar a segurança do grupo liderado pelo narcotraficante e operar esquema criminoso para ocultar bens pertencentes ao famoso clã. Além dele, um filho de Jarvis, tido como peça-chave nas atividades da quadrilha, foi preso em Balneário Camburiú (SC).

O preso seria Luan Pavão, que morava em um apartamento de luxo na cidade, conforme o apurado. Além dele, outro membro da facção de Pavão foi preso na cidade turística do litoral de Santa Catarina. Ao todo, foram cumpridos 21 mandados de prisão nos cinco estados.

Mulher, mãe, padrasto, genros, irmãos e sobrinhos de Pavão foram alvo da ação, porém, algumas pessoas ficaram em prisão domiciliar preventiva por causa da idade avançada e também por terem crianças pequenas para cuidar, segundo explicou a PF em coletiva de imprensa.

A maioria dos integrantes da família Pavão estavam em casas alugadas em Brasília (DF), onde residiam a pouco tempo. A cidade é onde está preso Jarvis, na Penitenciária Federal. Ele está no local desde 2019, após ser extraditado do Paraguai, tendo passado antes pela penitenciárias federais de Porto Velho (RO) e Mossoró (RN).

Além das prisões, foram cumpridos 67 mandados de busca e apreensão, todos expedidos pela 3ª Vara da Justiça Federal em Rondônia. Foram bloqueados mais de R$ 302 milhões dos investigados, dinheiro que estava em 96 contas bancárias, além de suspensas atividades de 22 empresas.