Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

CLIMÃO

Filha de vereador da Capital é presa por cuspir e xingar policiais em blitz

Alterada, mulher xingou e tentou chutar policiais na delegacia
22/02/2020 11:06 - Bruna Aquino


A filha do vereador Valdir Gomes (PP) foi presa por desacato a autoridade após cuspir, xingar e tentar agredir policiais militares durante uma blitz na madruga deste sábado na Avenida Afonso Pena região central de Campo Grande. Evellyne Gomes de Oliveira, de 38 anos, ficou furiosa com a abordagem da polícia, mostrou o dedo e xingou os policiais. 

Conforme informações do boletim de ocorrência, por volta das 3h o carro Chevrolet Ônix, foi abordado em blitz e a amiga que estava dirigindo foi convidada a realizar o teste de bafômetro que constou 0,8 mg/l de álcool. Irritada com a abordagem, Evellyne questionou os policiais e exigiu que o veículo fosse liberado. 

Segundo informou os militares na delegacia, eles tentaram explicar o procedimento de abordagem a ela, mas a passageira ficou furiosa xingou os policiais várias vezes. 

Pelo desacato, a mulher recebeu voz de prisão e precisou ser algemada a força quando cuspiu no comandante da operação. Ela foi levada à delegacia de polícia e disse ser filha de vereador e “que todos iriam se arrepender do que estavam fazendo”. 

Na delegacia, os militares informaram que ela foi extremamente agressiva, xingou várias vezes e tentou chutar os policiais civis que estavam de plantão. Ainda segundo a ocorrência, Evellyne dizia a todo tempo ser filha do vereador Valdir Gomes e que “iria falar com o prefeito para ferrar com os policiais”. 

Após registrar ocorrência, a filha do vereador assinou termo de responsabilidade e foi liberada com o veículo retirado por outra pessoa. 

Pela rede social, o vereador Valdir Gomes lamentou o ocorrido e disse que a atitude da filha não condiz com a criação que deu a ela. “Primeiro de tudo quero pedir desculpas a Campo Grande e perdão para a Polícia Militar. Sempre fui um pai presente e que ensinou bons princípios. Não há justificativas para o que ela fez, mas vou agir como pai e que ela receba a punição nos rigores da lei. Confio na polícia e que ela mesma sirva de exemplo: se beber não dirijam, mais uma vez peço perdão a todos”, disse. 

Felpuda


Figurinha cuja eleição estava sub judice trabalha intensamente para ter a votação legalizada. Isso acontecendo, garante uma das cadeiras de vereador. Assim, quem hoje foi proclamado eleito vai para a fila da suplência.

Caso isso ocorra, a figurinha que corre o risco não deverá ficar desamparada, pois deixou secretaria municipal para disputar as eleições e poderá ter a cadeira de volta em 2021. Agora, resta esperar para ver onde vai parar.